Diretora e vice-diretor da FAU tomam posse

A diretora e o vice-diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Maria Angela Faggin Pereira Leite e Ricardo Marques de Azevedo, tomaram posse no dia 18 de dezembro, na Sala do Conselho Universitário.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A diretora e o vice-diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Maria Angela Faggin Pereira Leite e Ricardo Marques de Azevedo, tomaram posse no dia 18 de dezembro, na Sala do Conselho Universitário.

“É uma honra poder ser vice-diretor da FAU, pois é a Faculdade que escolhi para estudar, fazer carreira acadêmica, e que tem uma história”, iniciou seu discurso de posse, o agora empossado no cargo, Ricardo Marques de Azevedo (foto).

Azevedo frisou que a Universidade não é um lugar de consenso, mas também para discutir ideias e visões. Ele lembrou da qualidade do corpo docente e dos alunos da FAU, que a Unidade não só forma arquitetos e designers, mas é responsável por aqueles que formam outros profissionais da área, pois muitos dos ex-pós-graduandos lecionam em outras faculdades e que por esse e outros motivos a FAU deve permanecer como referência em sua área.

A diretora Maria Angela contou sua trajetória na USP, na qual ingressou em 1970, que é interdisciplinar, tendo feito graduação em Biociências, mestrado em Geografia e doutorado em Estruturas Ambientais. Ela também aproveitou para fazer uma reflexão sobre o papel de uma Universidade pública e de uma faculdade como a FAU, desde quando entrou na Instituição, no contexto da ditadura, até os dias atuais.

Festa e reflexão

Destacando que a cerimônia de posse é um momento solene ao mesmo tempo festivo e de reflexão, o reitor Marco Antonio Zago convidou os novos dirigentes da Faculdade a trabalharem juntos com a Reitoria, ressaltando que sua gestão ajudará a progredir o projeto acadêmico da FAU, e que para ele deve ser priorizadas a graduação, mais interdisciplinaridade entre as disciplinas; ajudar a implantar novas formas de seleção; participar de avaliações externas.

A diretora Maria Angela, que está na USP desde 1970, quando ingressou na graduação

O reitor utilizou o momento para resumir algumas ações de sua gestão, iniciada em 26 de janeiro deste ano. Ele citou o pleno funcionamento do Museu de Arte Contemporânea (MAC) na nova sede do Ibirapuera e o concerto realizado pela Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) e Coral da USP (Coralusp), no dia 14 de dezembro, na Sala São Paulo, como exemplos da forte presença cultural da USP na cidade de São Paulo e sociedade. Para ilustrar a qualidade do ensino e pesquisa, ele falou das boas colocações nos rankings e os últimos prêmios  concedidos pela Capes para as teses de doutorado da Universidade.

Sobre a gestão administrativa, Zago citou a ampliação da transparência, a discussão sobre mudanças no Estatuto da USP; a criação de grupos de trabalhos sobre a carreira docente, além de outros como o que discute as relações de trabalho dos servidores e foi finalizado no dia 17.

O reitor falou da nova Comissão de Direitos Humanos da USP – cuja portaria foi publicada no dia 12 no Diário Oficial do Estado, que terá seu escopo de atuação ampliado e irá liderar iniciativas e a política com relação a casos e denúncias de violações dos direitos da pessoa no âmbito da Universidade.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados