Proteger privacidade é crucial para futuro dos serviços de saúde

Para Mayana Zatz, empresas privadas precisam garantir que resultados de testes genéticos permanecerão confidenciais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na nova edição de Decodificando o DNA, a geneticista Mayana Zatz, professora do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP, comenta sobre o futuro da privacidade em um cenário em que cada vez mais surgem organizações como a 23andMe, uma empresa privada de genômica pessoal e biotecnologia, que fornece testes genéticos com rapidez e pertence ao Google.

“O escândalo do Facebook mostrou recentemente uma violação de dados pessoais na web”, contextualiza a pesquisadora ao defender que, no futuro próximo, outras empresas de tecnologia que prestem serviços de saúde, também podem se deparar com vazamentos de informações privadas de pacientes do mundo todo. Além disso, para a professora, é necessário saber quem terá acesso aos dados dos pacientes. “Certamente companhias de seguro saúde, seguro de vida e nossos empregadores gostariam de saber se nós temos mutações que vão determinar doenças incapacitantes”, sugere ela ao questionar quais garantias essas empresas oferecerão aos seus clientes de que resultados de testes permanecerão confidenciais.

Ouça mais no áudio acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados