Brasil não acompanha a legislação internacional de qualidade do ar

De acordo com o colunista, as razões alegadas pelo governo são econômicas

Na edição de hoje (19),  o professor Paulo Saldiva analisa o motivo pelo qual o Brasil não acompanha a legislação internacional que prescreve os padrões de qualidade do ar. “Embora o conhecimento científico aponte claramente para os distúrbios causados pela poluição, o Brasil reluta em adotar padrões de qualidade do ar mais restritivos.”

As razões alegadas pelo governo são econômicas,  declara o professor, e questiona: qual o preço a pagar com a saúde para manter o estado atual de poluição do ar? ” Não existe a médio prazo nenhuma iniciativa consistente no sentido de reduzirmos a poluição das nossas cidades. Precisamos pressionar, de forma construtiva, as autoridades para que honrem as suas responsabilidades em termos de saúde coletiva e da preservação dos que menos podem”.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Saúde e Meio Ambiente.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.