Mortes por atropelamento aumentam 21% no primeiro semestre de 2017

Paulo Saldiva comenta a violência no trânsito e a falta de uma fiscalização eficaz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A coluna “Saúde e Meio Ambiente” desta semana aborda os números divulgados pelo Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga), que aponta um aumento de 21% nos registros de mortes por atropelamento no primeiro semestre de 2017, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os casos que culminaram em óbitos subiram de 184 para 223.

Paulo Saldiva, professor da Faculdade de Medicina da USP, acrescenta a esses dados que aproximadamente para cada indivíduo morto, pelo menos três a quatro saem com uma incapacitação física séria. Ainda segundo ele, a situação piora nas periferias da cidade de São Paulo, onde a sinalização é “precária” e onde se cometem infrações no trânsito, “sem que o infrator corra o risco de sequer receber uma multa”.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados