Lipídeos podem ajudar no diagnóstico de doenças

Estudo do Instituto de Química da USP pode ser aplicado no diagnóstico do zika vírus e outras patologias

São Paulo registrou novos casos de zika vírus, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Estado da Saúde. No entanto, dos 501 casos reportados como possíveis incidências da doença, apenas seis foram confirmados em todo o Estado.

Para diagnosticar o paciente, é necessária a análise dos sintomas e também outros exames para identificar o vírus. Uma pesquisa do Instituto de Química da USP (IQ-USP), comandada pela professora Sayuri Miyamoto e pelo pós-doutorando Marcos Yoshinaga, estuda marcadores lipídicos – substâncias que podem indicar, no nível celular, disfunções no organismo, como o zika e hepatite B.

O estudo é feito no Laboratório do Departamento de Bioquímica, com apoio do centro de pesquisa Redoxoma, também do IQ-USP. Para saber mais, ouça a matéria da Rádio USP.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.