Higienizar as mãos é a principal medida de prevenção ao coronavírus

Segundo Maria Clara Padoveze, a recomendação evita que os microrganismos sejam levados para as mucosas, como olhos e boca

 

Lavar as mãos com sabão ou álcool em gel é uma medida de proteção contra o vírus – Foto: Pixabay

Em meio à pandemia do novo coronavírus, ações de higiene básica, como lavar as mãos e cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, são recomendadas e têm sido fortemente incentivadas como forma de prevenção. A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem divulgado globalmente a campanha de higienização das mãos. Em suas redes sociais, o desafio #SafeHands – no qual os participantes demonstram a forma correta de lavagem – foi lançado e conta com a participação dos embaixadores da instituição e internautas.

A professora Maria Clara Padoveze, da Escola de Enfermagem da USP, fala da importância de lavar as mãos corretamente: “A gente tem essa recomendação porque muitas vezes as pessoas tocam partes como a mucosa da boca ou dos olhos. Então, a higiene das mãos evita que microrganismos sejam levados para essas mucosas. É efetivo e vários estudos comprovam”. Comenta ainda que até o momento a utilização de máscaras é recomendada apenas para profissionais de saúde, que precisam usar de maneira correta para evitar contaminação intra-hospitalar.

O uso do álcool em gel 70% é necessário quando não há disponibilidade para a lavagem das mãos, que deve ser feita com frequência, principalmente ao tocar objetos de uso comum. Segundo Maria Clara, o uso do sabão de má qualidade pode ressecar a pele, principalmente em idosos, mas é possível evitar o desconforto utilizando sabão de qualidade ou creme hidratante. 

De acordo com a professora, para higienizar as mãos corretamente “se pode usar água e sabão por 40 ou 60 segundos. Outra opção é usar o produto alcoólico entre 20 e 30 segundos e que, na verdade, não é necessário usar os dois. Pode usar um ou outro. O produto alcoólico é vantajoso porque em muitas circunstâncias não se tem uma pia disponível e é mais rápido”. 

A transmissão da covid-19 acontece por gotículas ou por contato. O Ministério da Saúde, além da lavagem de mãos, recomenda que aglomerações sejam evitadas. 

Ouça a entrevista na íntegra pelo link acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.