Nova teoria explica formação de buracos negros gigantes

Origem dos buracos negros gigantes presentes nos centros de toda galáxia ganha nova explicação

 

Representação artística de como seria a galáxia CR7, onde haveria um buraco negro primordial
Imagem: ESO / M. Kornmesser

De acordo com um novo estudo com participação de um astrônomo brasileiro, é possível que os buracos negros gigantes tenham se formado de uma maneira diferente da imaginada pelos cientistas. A teoria mais aceita afirma que buracos negros supermassivos se originaram em razão da implosão final de estrelas, com o colapso de imensas nuvens de gás. Segundo a nova teoria, não teria sido necessário o surgimento das primeiras estrelas para que se formassem os primeiros buracos negros. E os demais buracos negros descenderiam desses primordiais.

O professor João Steiner, astrofísico do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, comenta o trabalho descrito em artigo na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Ouça mais detalhes na coluna Entender Estrelas, clicando no player acima.

Com informações da revista Pesquisa Fapesp

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.