Educação é a liberdade de poder pensar e expressar o que se pensa

Para coordenadora do “Congresso Paulista de Educação Infantil”, é importante que a criança desenvolva uma voz ativa

O 8º Congresso Paulista de Educação Infantil (Copedi) é parte do IV Simpósio Internacional de Educação Infantil, com realização da Faculdade de Educação da USP e da Universidade Federal de São Carlos. Tem reconhecida importância no cenário nacional na área de Educação Infantil, congrega pesquisadores, professores, especialistas e estudantes, e é ancorado em três pilares: políticas, práticas pedagógicas e teorias do campo. Em 2019, a temática Educação Infantil como prática da liberdade parafraseia e faz eco à obra de Paulo Freire, Educação como prática da liberdade. O Jornal da USP no Ar conversou sobre o congresso com a professora Anete Abramovich, educadora e coordenadora do evento.

De acordo com Anete, “este ano é muito importante, porque vivemos um ataque à educação, às práticas democráticas e aos letrados de grandes educadores”. Ela afirma que o tema do evento indica que a educação só faz sentido em uma prática de liberdade: “Educação é a liberdade de poder pensar, expressar o que se pensa”. A área trabalha com vários marcadores sociais, como raça, classe social e gênero. O Copedi inova, abordando a marca das relações etárias.

Além de oficinas para professores da educação básica, o evento teve debate sobre as dificuldades com o trabalho com a criança pequena, como a importância da criança desenvolver uma voz ativa. A educadora comenta que a criança pequena é um alvo de saber e poder, mas é muito raro vê-la falar por si própria, porque a sociedade é marcadamente adulto cêntrica. “O espaço social da fala da criança é muito restritivo na nossa hierarquia social: tudo o que ela diz não tem importância, tudo o que ela diz é coisa de criança. A participação dela é muito pequena, então quando a gente faz um congresso desse tipo, seja nas práticas, seja na pesquisa, o que a gente quer trazer é a fala da criança.”

Outro ponto que o evento tenta recuperar é a experiência da infância, visto que “cada vez mais o tempo da infância tem diminuído”. Por conta de muitas exigências e de uma agenda cheia, cada vez menos a criança tem o poder de passar o tempo brincando. “Isso que nos foi roubado na modernidade, né? O tempo”, comenta Anete.

Para a coordenadora do Copedi, uma educação só dá certo se ela tem um projeto coletivo sendo implementado por cada professor em sua sala de aula. Ela ressalta a importância de “uma educação antirracista, plural, onde as crianças tenham direito à fala, onde ela seja escutada”. A escola é central na história da criança, porque é onde acontece o encontro coletivo delas: em sala de aula.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •