Apoio e fiscalização dos serviços públicos pela população são vitais

Lei garante que, além de fazer denúncias, usuários possam participar de forma efetiva na melhoria dos serviços

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em julho de 2018, o Código de Defesa do Usuário do Serviço Público passou a abranger municípios acima de 500 mil habitantes. Até então, apenas cidades com menos de 100 mil podiam fazer uso dos recursos da lei, que estabelece normas básicas para a participação, proteção e defesa dos direitos de quem utiliza serviços públicos.

Os serviços públicos são aqueles fornecidos pelo governo, como, por exemplo, distribuição de água, energia, assistência médica e transportes coletivos. Podem ser prestados direta ou indiretamente pela administração pública. No caso da forma indireta, quando o serviço é terceirizado,  é financiado por uma empresa.

De acordo com a professora Cíntia Rosa, da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP, entre os direitos do usuário estão a livre manifestação, críticas, elogios e conselhos sobre de que forma o serviço pode ser melhor, por meio das ouvidorias, e, assim, “viabilizar a participação dos usuários na administração desses serviços públicos”.

Ouça a entrevista no link acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.