Morre aos 99 anos pioneira da Botânica no Brasil, professora Berta Morretes

Em 2011, ela ainda lecionava na graduação e na pós-graduação, e também continuava ativa como pesquisadora

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
20161201--professora-berta
A professora Berta em 2011 – Foto: Ernani Coimbra/Imprensa USP

O Instituto de Biociências (IB) comunicou o falecimento, no dia 30 de novembro, da professora Berta Lange de Morretes, pioneira da Botânica no Brasil. Aos 99 anos de idade, a professora do IB estava na USP desde 1938, como aluna, e depois, a partir de 1941, como professora.

Filha de Frederico Lange de Morretes e Bertha Lange de Morretes, Berta nasceu em Iffeldorf, na Alemanha, em 28 de junho de 1917 e veio para o Brasil ainda com 2 anos de idade. Seus pais já mostravam o histórico da família de ligação com a biologia pois ela veio para São Paulo justamente quando seu pai foi convidado para trabalhar no Museu Paulista (MP), na área de zoologia.

Na USP ocupou a mesma sala durante mais de 50 anos e ficou conhecida por pagar cursos para funcionários terceirizados do prédio do IB. Em 2011, ela ainda lecionava em aulas de uma turma de graduação e duas de pós-graduação – e também desenvolvia pesquisas e sequer pensava em parar. “Estou estudando o efeito de radiações ionizantes sobre a estrutura dos órgãos das plantas”, contou ao Estadão naquele ano.

A cerimônia de cremação ocorre nesta quinta-feira, dia 1º de dezembro, a partir das 14 horas, no Cemitério e Crematório Horto da Paz (Rua Horto da Paz, 191, Potuverá, Itapecerica da Serra).

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados