USP sobe uma posição e fica em 9º lugar no ranking THE Brics

A USP é a instituição brasileira mais bem classificada no ranking que avalia as universidades dos países que compõem o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A USP é a melhor instituição brasileira classificada no ranking que avalia as universidades dos países que compõem o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

Agora na 9ª posição, uma a mais que a classificação alcançada no ano passado, a USP continua sendo a universidade brasileira mais bem colocada no ranking de universidades dos países dos Brics e Economias Emergentes, publicado no dia 2 de dezembro pela consultoria britânica de educação superior Times Higher Education (THE).

Essa é a terceira vez que o THE realiza uma classificação considerando apenas as universidades dos cinco países que compõem o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – e países emergentes – como Taiwan, Turquia, Colômbia, Chile e México, mas nessa edição o ranking classificou as primeiras 200 universidades.

“A melhoria na posição é um importante indicador do desempenho acadêmico que reflete a liderança da USP na América Latina. Entendemos que flutuações são esperadas, podendo ser em função dos mecanismos de fornecimento e coleta de dados. O próprio Times Higher Education passou, recentemente, a utilizar diferente metodologia e fonte de dados. Assim, é importante considerar um período mais longo para avaliar as tendências”, afirmou o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Raul Machado Neto.

Além da USP, 14 instituições brasileiras figuram entre as 200 melhores classificadas, dentre elas: a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em 24º lugar; a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em 43º; a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 89º; a Universidade Federal de Viçosa, em 102ª; a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 118º; e a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), na 122ª posição.

O Brics & Emerging Economies Ranking utiliza os mesmos 13 indicadores de desempenho da classificação mundial do THE, porém adaptados para refletir as características e as prioridades de desenvolvimento das universidades dos países do bloco. Os indicadores são agrupados em cinco categorias — ambiente de ensino, inovação, internacionalização, pesquisa (volume, investimento e reputação) e citações (influência da pesquisa).

Confira as dez universidades mais bem colocadas nessa classificação:

[table id=71 /]

A lista completa das 200 melhores universidades dos Brics e Economias Emergentes pode ser conferida na página do Times Higher Education.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados