Mais de 450 trabalhos são avaliados no Simpósio de Iniciação Científica

O simpósio reúne trabalhos de estudantes de graduação da USP e de outras instituições de ensino, bolsistas ou não, que tenham desenvolvido projetos de iniciação científica e tecnológica.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
994X3808
Na etapa internacional do simpósio, as pesquisas são apresentadas em língua inglesa na forma de pôsteres, e julgadas por um Comitê Científico

A Pró-Reitoria de Pesquisa promoveu, nos dias 19 e 20 de outubro, a última etapa do 24º Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP (Siicusp), no Centro de Difusão Internacional, na Cidade Universitária.

O simpósio reúne trabalhos de estudantes de graduação da USP e de outras instituições de ensino, bolsistas ou não, que tenham desenvolvido projetos de iniciação científica e tecnológica.

O evento fez parte da programação da primeira Semana de Ciência e Tecnologia da USP, promovida até o próximo dia 22 de outubro em várias Unidades de Ensino e Pesquisa e Museus da Instituição.

Do total de mais de 3.500 trabalhos inscritos no Siicusp, 475 foram indicados para a etapa internacional, sendo 42 deles de instituições de fora da USP e 10 de alunos estrangeiros convidados: cinco deles pertencentes à Rutgers University, nos Estados Unidos, e outros cinco à Humboldt-Universität zu Berlin, na Alemanha.

Para participar, os estudantes devem passar por duas fases: avaliação na Unidade e etapa internacional. Na primeira fase, as pesquisas são avaliadas por uma Comissão de Pesquisa, formada por docentes, pesquisadores doutores, estudantes de doutorado e pós-doutorandos. Os trabalhos selecionados seguem para a etapa internacional.

Na fase seguinte, as pesquisas são apresentadas em língua inglesa, na forma de pôsteres, e julgadas por um Comitê Científico. Os melhores projetos são escolhidos para representar a USP em outros eventos ou premiações. O resultado deverá ser divulgado na página do simpósio, no dia 24 de outubro.

De acordo com o pró-reitor de Pesquisa, José Eduardo Krieger, a iniciação científica e tecnológica é uma das portas de entrada para formar mais pesquisadores na Universidade. “Ela forma os futuros cidadãos, aqueles que vão ser líderes em suas áreas e vão agir diretamente sobre a sociedade, mesmo que não se tornem pesquisadores”, afirmou.

Trajetórias

994X3579
(Da esq. p/dir) O reitor Marco Antonio Zago; o presidente da Fapesp, José Goldemberg; a pró-reitora adjunta de Pesquisa, Marta Teresa da Silva Arretche; e o assessor da Pró-Reitoria Hamilton Varela

Além da exposição dos trabalhos de iniciação científica, a programação contou com palestras de professores e pesquisadores, alunos e ex-alunos da Universidade e convidados especiais que trabalham na divulgação de conteúdos relacionados à ciência.

O reitor da Universidade, Marco Antonio Zago, foi convidado para participar do encontro “Trajetórias em Ciências”, ao lado do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e ex-reitor da USP, José Goldemberg; e da pró-reitora adjunta de Pesquisa e coordenadora do Centro de Estudos da Metrópole,  Marta Teresa da Silva Arretche.

No encontro, coordenado pelo assessor da Pró-Reitoria de Pesquisa e professor do Instituto de Química de São Carlos (IQSC), Hamilton Varela, os participantes tiveram a oportunidade de contar aos estudantes de iniciação científica sobre suas experiências pessoais como cientistas da Universidade.

No dia 20, a programação incluiu palestras com os youtubers Atila Iamarino, do canal Nerdologia, e Paulo Miranda, do Canal do Pirula, além do segundo seminário da série USP Lectures, com o professor de Língua e Cultura Japonesa do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e especialista em educação a distância, Shigeru Miyagawa.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados