Comunicado da Reitoria sobre presença da Polícia Militar no campus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Em face do descumprimento da determinação judicial, decorrente do processo de reintegração de posse, impetrado pela Reitoria da Universidade de São Paulo (USP), para a desobstrução da entrada de oito edifícios localizados na Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, a Polícia Militar procedeu, novamente, a liberação dos acessos desses prédios, garantindo-se, assim, o direito dos servidores de entrarem em seus locais de trabalho.

A Reitoria reconhece o direito de greve, mas não pode ser omissa quanto à realização de piquetes que obstruam o acesso aos prédios, cuja realização é ilegal, pois vai de encontro à prerrogativa legal de ir e vir dos servidores, de acordo com o que rege a Constituição Federal.

Em relação à reabertura das negociações com as entidades de classe da USP, UNESP e UNICAMP, conforme decisão do CRUESP, publicada em comunicado divulgado no dia de hoje, “as reuniões com o Fórum das Seis serão retomadas com a cessação de ações coercitivas prejudiciais ao pleno funcionamento das atividades institucionais”.

Ressalte-se, ainda, o compromisso permanente da Reitoria em manter o diálogo construtivo, o que ficou demonstrado, uma vez mais, nesta data, com a disposição reitora Suely Vilela em receber uma Comissão constituída de cinco servidores, dois alunos e um docente. Nessa ocasião, reafirmou-se a necessidade de um esforço coletivo, respeitadas as diversidades, para o aperfeiçoamento de uma universidade pública, plena e de qualidade.

São Paulo, 3 de junho de 2009.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail