De Lobato a Veríssimo, “Revista USP” brinda americanistas em dossiê

Nova edição da revista analisa carreiras de brasileiros ilustres que melhor interpretaram os Estados Unidos da América

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn92Print this pageEmail

20170404_00_revista-usp
.
Em homenagem aos estudiosos brasileiros que se dedicaram a compreender a política e a cultura dos Estados Unidos, a Revista USP lança, em sua mais recente edição, o dossiê Americanistas: quem são os brasileiros que melhor entenderam os Estados Unidos da América. O dossiê é composto de 14 artigos que analisam a atuação de especialistas históricos no assunto, como os escritores Monteiro Lobato e Érico Veríssimo, o polímata Gilberto Freyre, o antropólogo Roberto DaMatta e o político Joaquim Nabuco, entre outros.

A edição é organizada por Carlos Eduardo Lins da Silva, jornalista e livre-docente em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, que já foi professor visitante das Universidades de Georgetown, Texas e Michigan State.

“Por mais que se possa argumentar, muitas vezes com razão, que o poder relativo dos Estados Unidos no mundo tem diminuído, é indiscutível que quase todas as nações ainda são fortemente influenciadas pelo que acontece naquele país, devido ao seu hegemônico poder econômico, político, militar e cultural. Com o Brasil não é diferente”, analisa Silva, na apresentação da revista.

O jornalista critica a falta de reconhecimento, na comunidade acadêmica, dos pesquisadores nacionais que analisam o exterior e o excessivo destaque dado a estrangeiros que estudam nosso país, os brasilianistas. Além disso, “impressiona como o Brasil ainda conhece pouco e mal os Estados Unidos, o que é um paradoxo quando se constata a enormidade da presença americana no cotidiano dos brasileiros, mesmo os mais simples”, aponta.

Americanistas ilustres

Dentre os principais trabalhos publicados na revista, o artigo A presença dos EUA na obra infantil de Monteiro Lobato, escrito por José Roberto Whitaker Penteado, evidencia a admiração do escritor pelos valores norte-americanos, mesmo que sua obra visasse ao desenvolvimento da identidade brasileira. Nas aventuras da turma do Sítio do Pica-Pau-Amarelo, as personagens deixam recados em inglês, mencionam celebridades americanas e discutem o modelo de progresso econômico dos Estados Unidos.

Monteiro Lobato - Foto: Divulgação
Monteiro Lobato – Foto: Divulgação

Em Monteiro Lobato e os Estados Unidos: espectador, leitor, tradutor, a professora universitária Milena Ribeiro Martins explora a atuação do escritor como divulgador das ideias norte-americanas a partir de seus textos críticos, ficcionais e pessoais.

No artigo Lanterna de luz mórbida — Érico Veríssimo e os problemas raciais nos Estados Unidos, o professor Carlos Cortez-Minchillo analisa como o gaúcho abordou a questão em seus livros de viagem, revelando uma face mais complexa e objetiva da sociedade norte-americana.

Outros artigos publicados são Americanos por brasileiros no fim do século XIX, de Antonio Dimas, professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP; O amigo americanista. Entrevista com o professor Antonio Pedro Tota, do jornalista norte-americano Matthew Shirts; DaMatta: cronista de duas culturas, de Roque de Barros Laraia, e Nos desprendemos da Europa tão completa e definitivamente como a Lua da Terra: o americanismo de Nabuco, por Luís Cláudio Villafañe G. Santos.

O organizador Carlos Eduardo Lins da Silva assina a análise América: a importância do olhar estrangeiro.

Erico Verissimo - Foto: Divulgação/Leonid Strealiev
Érico Veríssimo – Foto: Divulgação/Leonid Strealiev

Completam a edição os artigos Vianna Moog e seu cotejo entre Brasil e Estados Unidos, de Fernando de Mello Barreto; Hipólito da Costa visita a jovem democracia yankee, de Oscar Pilagallo; Uma análise comparativa sólida, que rejeita determinismos, de Paulo Sotero; Antibrasilianismo: doença infantil da historiografia brasileira, de José Carlos Sebe Bom Meihy; Um olhar para duas cidades: Richard Morse e a história urbana no Brasil, de Ana Cláudia Veiga de Castro; e A outra América de Gilberto Freyre, de Alfredo Cesar Melo.

Debate na rádio

00 RUSP Capa 112 lombada 10 a.inddNesta sexta-feira, dia 7 de abril, Carlos Eduardo Lins da Silva estará ao vivo na Rádio USP (93,7 FM), às 8h, com Matthew Shirts e Antonio Dimas, para divulgar e debater a importância da edição.

“A conversa será sobre a mudança sentida no que diz respeito às relações entre os Estados Unidos e o Brasil”, diz Francisco Costa, editor da Revista USP. “Os brasilianistas já são tratados nas universidades durante muito tempo. Agora, estamos valorizando também os nossos próprios escritores brasileiros, que produziram escritos objetivos sobre o nosso irmão do norte.”

 

Revista USP, número 112, dossiê Americanistas, publicação da Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP (telefone 11 3091-4403), 180 páginas, R$ 20,00.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn92Print this pageEmail

Textos relacionados