USP na Amazônia: das trilhas da Neblina ao laboratório de campo

Após coleta de espécimes, cientistas da USP que subiram ao Pico da Neblina trabalham no laboratório de campo na Amazônia

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O Núcleo de Divulgação Científica apresenta ao público uma série de reportagens sobre a expedição de pesquisadores da USP ao Pico da Neblina, realizada com o apoio do Exército brasileiro no final do ano passado.

Confira os novos vídeos do especial publicado no Canal USP.

Sapos, cobras e lagartos no laboratório de campo

Neste vídeo, veja os herpetologistas da USP no laboratório de campo montado para eles pela tropa do Exército brasileiro.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões

.

O efeito da temperatura mais alta sobre lagartos

O zoólogo Agustín Camacho monta um experimento simples para entender qual a temperatura máxima que lagartos amazônicos podem suportar antes de escapar.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões

Aves de Maturacá: uma visão geral

Luis Fábio Silveira apresenta as espécies de aves coletadas na primeira parte da expedição.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões

Roedores e marsupiais, agora no laboratório

Alexandre Percequillo, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, apresenta os espécimes que coletou em torno de Maturacá: pequenos roedores e marsupiais.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões

Afinal, a eterna neblina

A expedição chega, enfim, ao Pico da Neblina, com dois dias de atraso por causa do mau tempo. Foi uma pena: as equipes de reportagem, a da BBC e a do Canal USP, só ficaram dois dias no pico antes de voltar às suas bases. Mesmo assim, deu para mostrar o clima das alturas.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões.

Um roedor nas alturas

O Canal USP acompanhou Alexandre Percequillo, zoólogo especializado em mamíferos, nas trilhas do Pico da Neblina. Venha conosco.

Reportagem: Ana Paula Chinelli. Edição: Rafael Simões.

Leia também:

USP vai ao Pico da Neblina descobrir a biodiversidade do Brasil

 

A USP sai em busca da biodiversidade amazônica

Aves, anfíbios, répteis e plantas: a vida no Pico da Neblina

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados