União Europeia aprova “legislação frouxa” sobre perturbadores endócrinos

As medidas aprovadas vêm sendo criticadas por médicos e associações de consumidores

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Voltando a tratar do tema “perturbadores endócrinos”, o professor José Eli da Veiga lamenta que a União Europeia tenha decidido, na semana passada, por uma regulamentação “muito frouxa”, criticada por médicos e associações de consumidores. Segundo o colunista, venceu o grande lobby das empresas. Somente três países votaram contra e outros sete se abstiveram.

Perturbadores endócrinos são as substâncias químicas presentes no cotidiano da população. Entre os efeitos à saúde causados pelo uso dessas substâncias, estão o desenvolvimento de câncer, diabetes e obesidade.

O professor ressalta que no Brasil a questão ainda é pouco discutida e que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não leva muito em conta. José Eli também destaca uma pesquisa realizada na França sobre mulheres grávidas que estão expostas à contaminação por metais pesados – mercúrio e arsênio – , devido ao consumo de peixes e frutos do mar. “Isso cria uma situação difícil em relação às campanhas de hábitos alimentares para que pessoas reduzam o consumo de carne em favor de produtos que venham do mar”, lamenta o colunista.

 

Ouça a coluna na íntegra.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados