Jornais europeus alertam para os perigos do clorpirifós

Proibido em alguns países, o inseticida afeta no desenvolvimento do cérebro de crianças

Foto: Divulgação / Idec / CFN

Os grandes jornais da União Europeia noticiaram, nesta semana, informações sobre os perigos do uso do inseticida clorpirifós. “A situação chega a ser assustadora”, alerta José Eli da Veiga. Segundo o colunista, o tema veio à tona após o trabalho de jornalistas investigativos da Dinamarca. O clorpirifós afeta o cérebro de crianças, atrasando o ritmo de crescimento do órgão. Eli da Veiga lembra que o inseticida está na classe dos organofosforados, que estão associados a cerca de 60 mil casos de deficiência intelectual, por ano, na Europa, dentre os que são diagnosticados.

Para o colunista, o tema está diretamente relacionado à questão dos desreguladores endócrinos, já abordado em colunas anteriores. “Esse trabalho investigativo permitiu desvendar mais um escândalo. Certamente, a União Europeia não demorará a tomar medidas mais sérias”, acredita Eli da Veiga. Até agora, somente oito dos 28 países europeus proibiram o inseticida. “Ou seja, 20 nações da União Europeia ainda permitem o uso do produto. Isso significa que, mesmo os que proibiram, continuam a receber, indiretamente, os efeitos do clorpirifós”, lamenta o professor. Ele avalia que a questão é bem mais ampla, pois está ligada ao padrão de alimentação que foi legitimado durante o século 20 e aos processos que transformam os produtos agrícolas em alimentos. “Há, por trás desse padrão, um progresso agroindustrial fabuloso”, considera Eli da Veiga.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Sustentáculos.


Sustentáculos
A coluna Sustentáculos, com o professor José Eli da Veiga, vai ao ar toda segunda-feira às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •