Geração distribuída tem potencial, mas ainda é cara

Custo da instalação dos equipamentos se paga em poucos anos, mas ainda não é considerado bom investimento

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Ouça a coluna na íntegra.

Painéis de energia solar. Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Painéis de energia solar. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Segundo projeções da Agência Nacional de Energia Elétrica, a geração de energia pelos próprios consumidores tende a crescer e deve chegar a mais de 1 milhão de unidades consumidoras no Brasil até 2024. Nesta coluna, o professor José Goldemberg analisa as perspectivas da chamada geração distribuída.

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados