Quanto da nossa microbiota intestinal depende da genética?

Mayana Zatz detalha estudo publicado na revista “Science”, que sugere que essa relação é mais forte do que se imagina

 15/07/2021 - Publicado há 3 meses
Por

Uma pesquisa, liderada pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, mostrou que a genética desempenha um papel importante na composição da microbiota intestinal. Microbiota é a população de bactérias e vírus que vivem no nosso organismo.

Os cientistas analisaram, durante 14 anos, o perfil genético de 16 mil amostras de microbiota intestinal de 585 macacos baboons, moradores do Parque Nacional do Quênia. Para cada investigação, foram levantados dados sobre as condições ambientais, comportamento social, demografia, além da dieta do grupo.

Trabalhos anteriores em humanos sugeriam que somente de 5% a 13% dos micróbios eram herdados, entretanto, a maioria desses estudos em humanos só mediu a microbiota em uma amostra de cada indivíduo.

Na edição de hoje (15), a professora Mayana Zatz, diretora do Centro de Estudos sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) da USP, dá detalhes sobre o estudo, além de antecipar informações sobre um estudo semelhante em desenvolvimento no grupo que ela coordena.


Decodificando o DNA
A coluna Decodificando o DNA, com a professora Mayana Zatz, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.