Mesmo com benefícios, colírios podem oferecer riscos à saúde dos olhos

São remédios que devem ser utilizados sob recomendação e acompanhamento médico, alerta Eduardo Rocha

 23/06/2021 - Publicado há 4 meses

Nesta edição da coluna Fique de Olho, o professor Eduardo Rocha fala sobre colírios. Segundo o especialista, eles são o melhor tratamento para problemas oculares inflamatórios, infecciosos, controle da pressão ocular e para a lubrificação dos olhos. 

Rocha conta que existem diversos colírios, mas que o uso desses remédios, sem acompanhamento médico, oferece “riscos inerentes”. Os colírios descongestionantes, por exemplo, podem perder a eficácia em uso prolongado e ainda causar efeito rebote.

Colírios que “tiram a dor” também precisam de supervisão médica, pois modificam a “biologia dos tecidos das células oculares”, informa o professor. Rocha adianta que os “colírios à base de corticoides” e de uso frequente na oftalmologia podem elevar a pressão intraocular, “ocasionando glaucoma ou produzir opacidade do cristalino”, o que pode levar à catarata. E, reafirma, como todo medicamento, precisa de recomendação e acompanhamento médico.


Fique de Olho
A coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha, vai ao ar toda quarta-feira às 10h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.