Pressão de redes sociais e privacidade provocam suicídio virtual

Tendência é mundial, e especialista do Instituto de Psiquiatria da USP recomenda equilíbrio

 25/02/2019 - Publicado há 3 anos
Por

Especialistas pelo mundo afora concordam que o suicídio virtual é uma tendência. Pessoas que decidem matar seus próprios perfis nas redes sociais em busca de tranquilidade chamam a atenção de pesquisadores, que estudam as razões por que isso acontece.

Privacidade e proteção de dados estão entre as causas, mas elas não são suficientes. O desencanto com as redes sociais também pesa nessa decisão. Para o psiquiatra Rodrigo Leite, coordenador do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, a lua de mel entre o internauta e as redes sociais está acabando.  

Outro fator importante, segundo Leite, é o estresse causado pela pressão que as redes sociais fazem para que o internauta interaja.

O psiquiatra entende que o suicídio virtual não é a resposta adequada. Para ele, o isolamento total das redes sociais também é prejudicial e recomenda equilíbrio. Ele lembra que muitas empresas buscam nas redes sociais informações de seus funcionários e, principalmente, de novos contratados e que ficar ausente delas pode ser prejudicial.

Ouça a entrevista no link acima.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.