Pesquisa comprova viés machista e conservador entre economistas

Gênero condiciona políticas e preocupações 

 20/08/2018 - Publicado há 3 anos

Pesquisa publicada pela revista Finance & Development do FMI, voltada a financiamento e desenvolvimento, comprova o maior conservadorismo dos homens e uma aceitação maior do Estado na economia entre as economistas do suposto sexo frágil. No Brasil, partidos fraudam a lei de cota de gênero, tornando a democracia ainda mais vulnerável. Acompanhe a íntegra do comentário do professor Gilson Schwartz pelo link acima.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.