Ecossistemas de parques recebem propostas de minoria de candidatos a prefeito

Segundo Pedro Luiz Côrtes, apenas cinco dos 14 candidatos à Prefeitura de São Paulo apresentaram propostas focadas na função ambiental e ecossistêmica dos parques da cidade

Os parques, além de fornecerem momentos de lazer, atividades culturais e esportivas, também prestam serviços ecossistêmicos, que são benefícios gerados pela natureza, vitais para o bem-estar humano e atividades econômicas, como a adaptação às mudanças climáticas, a preservação da fauna e da flora, o aumento da permeabilidade do solo para reduzir a incidência de alagamentos e a diminuição das ilhas de calor. Apesar de as eleições municipais estarem próximas, somente cinco dos 14 candidatos à Prefeitura de São Paulo apresentaram propostas focadas na função ambiental e ecossistêmica dos parques, informa Pedro Luiz Côrtes, da Escola de Comunicações e Artes e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP.

Foi pensando na função ambiental significativa dos parques que o boletim O Ambiente é o Nosso Meio desta semana analisou as propostas eleitorais dos candidatos à Prefeitura da cidade de São Paulo. Das 14 candidaturas, apenas dez apresentaram propostas em relação aos parques. Das dez, apenas cinco discorrem sobre a função ambiental dos parques e dos serviços ecossistêmicos prestados. “As outras cinco candidaturas que mencionaram os parques os tratam como simples áreas de lazer ou os associam a atividades culturais e esportivas, o que é importante, mas não podemos considerar apenas esses serviços, porque os parques cumprem funções ambientais muito importantes”, afirma o professor ao Jornal da USP no Ar.

Segundo Luiz Côrtes, dentre as propostas das candidaturas voltadas aos parques estão: aumento da permeabilidade do solo com a construção de parques lineares; uso dos parques para a redução da temperatura na cidade, logo focam em combater as ilhas de calor; a recuperação da função natural de rios e córregos com a construção de parques lineares; e a criação de corredores verdes formados por ruas e avenidas com plantio de flora nativa para interligar parques e áreas verdes, o que favorece também a preservação da fauna, especialmente dos pássaros.

Alguns candidatos propuseram a proteção dos remanescentes da mata e da biodiversidade. O professor informa que em São Paulo ainda há manchas de mata atlântica na região urbana, notadamente no Parque Trianon e, com essa proposta, o objetivo é que os parques ajudem a recompor ou manter os remanescentes existentes. E, por fim, também foram observadas propostas para a utilização dos parques num plano de adaptação às mudanças climáticas, tema que será abordado em outro boletim. Ouça a entrevista na íntegra pelo player acima para saber mais sobre as propostas dos candidatos à Prefeitura de São Paulo em relação aos parques. O Ambiente é o Nosso Meio também está no YouTube!


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.