Álvaro Moisés analisa o primeiro grande desafio do governo Temer

Segundo Álvaro Moisés, a sociedade brasileira está melhor preparada para cobrar do governo Temer sua posição em relação ao combate à corrupção

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

cab_jose_alvaro

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O governo interino de Michel Temer mal começou e já enfrenta seu primeiro grande desafio, a partir da revelação de diálogos comprometedores entre o então senador peemedebista Romero Jucá (agora licenciado do ministério do Planejamento) e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.  A conversa entre os dois, revelada pelo jornal Folha de São Paulo, envolve a operação Lava Jato e uma série de desdobramentos do impeachment.

Para o cientista político José Álvaro Moisés, colunista da Rádio USP, o governo de Michel Temer está em um dilema que pode ser considerado sério. Ele observa que não faltaram advertências no sentido de que a nomeação de políticos denunciados ou investigados pela operação Lava Jato criariam impasses, possivelmente incorrigíveis, para o atual governo interino.

No entanto, para o colunista, nem tudo está perdido. Segundo ele, Temer pode aproveitar a oportunidade para esclarecer em definitivo a sua posição sobre a operação Lava Jato, sob risco de deixar espaço aberto para que os ataques – cada vez mais duros – dirigidos à legitimidade de seu governo aumentem.

Para Álvaro Moisés, a sociedade brasileira, após tantas experiências recentes, está mais preparada e tem o direito de saber, de modo inequívoco, a posição de Temer em relação ao combate à corrupção. Trocando em miúdos, trata-se de uma excelente oportunidade para o atual governo manobrar a situação a fim de mostrar, definitivamente, a que veio.

logo_radiousp
.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados