Colunista fala sobre distorções no investimento em educação

O Brasil investe mais no ensino público superior do que fundamental, o que pode gerar distorções e reforçar a desigualdade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O Brasil investe muito mais em ensino superior do que no ensino fundamental, bem acima da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Como o Brasil é ainda um país de renda média-baixa, com muitas necessidades, esse gasto acaba sendo mal feito. Vale mais a pena investir no ensino fundamental, principalmente na pré-escola, pois estudos mostram que esse investimento determina a capacidade futura das crianças, e isso forma uma base para que elas possam entrar no ensino superior. Uma distorção muito grande é que boa parte dos alunos do ensino superior público é de renda média e alta. São alunos que estudaram em colégios particulares e tiveram boa preparação para o vestibular. Já as pessoas de renda mais baixa estudam em escolas públicas até o colégio, e trabalham para pagar uma faculdade particular. Ouça acima, na íntegra, o comentário do professor Luciano Nakabashi.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail