Queda de infecções pelo zika segue sem explicação

Após surto alarmante, o número de casos cai, porém especialistas ainda têm muito a descobrir sobre o vírus

Paolo Zanotto, professor do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e Coordenador da Rede de Estudos do Zika, conta que ainda não é possível explicar a diminuição de casos da doença.

Isso ocorre, justifica Zanotto, porque não se sabe quantas pessoas já foram infectadas, dado fundamental para entender a periodicidade do vírus. Por conta disso, chegar a um processo que determine a presença do patógeno é o desafio imediato. Uma outra prioridade, acrescenta o pesquisador, é estudar o desenvolvimento de mães e bebês infectados.

Zanotto ainda dá um alerta sobre o vírus da Chikungunya, que tem potencial de se tornar um grande problema. A doença deixa pessoas debilitadas por semanas ou até meses, incapacitadas de realizar trabalhos com as mãos.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •