Professores da USP recebem prêmio da Fundação Bunge

No dia 13 de setembro, dois pesquisadores da USP foram premiados, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes, por ocasião

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
(da esq. p/ dir.) O reitor João Grandino Rodas, o professor José Roberto Postali Parra e a pesquisadora Helena Lage Ferreira, na cerimônia de premiação

No dia 13 de setembro, dois pesquisadores da USP foram premiados, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes, por ocasião da 56ª edição do Prêmio Bunge, criado em 1955 para reconhecer a importância de profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e da ciência no país. Este ano, os temas escolhidos foram “Defesa sanitária animal e vegetal” e “Oceanografia”.

O prêmio seleciona pesquisadores com reconhecimento internacional entre indicações feitas pela comunidade científica – como as universidades e a FAPESP. O governador Geraldo Alckmin justificou a importância das duas áreas de pesquisa selecionadas este ano. “A agricultura brasileira é a mais eficiente dos trópicos, e a defesa sanitária é central no seu desenvolvimento”, afirmou.  Ele destacou também que a oceanografia, premiada este ano pela primeira vez, enfrenta enormes desafios impostos pelas mudanças no clima e pela poluição.

O engenheiro agrônomo José Roberto Postali Parra, da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq) foi um dos grandes premiados da noite, com R$ 100.000,00, por sua vida e obra. Parra é especialista no uso de insetos para controle biológico de pragas. “O uso de insetos é eficaz contra a broca da cana-de-açúcar”, exemplificou em vídeo produzido pela Fundação Bunge.

A categoria Juventude, em sua 32ª edição, premiou com R$ 40.000,00 a veterinária Helena Lage Ferreira, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos e especialista em vírus de aves, tema que aproxima a produção de alimento do controle de epidemias como a da gripe aviária. “Os vírus que atacam as criações têm seu reservatório natural nas aves silvestres”, explica no vídeo apresentado na solenidade.

A noite, que além da premiação ofereceu uma apresentação musical do sexteto Britten e uma recepção com jantar, homenageou a “aquisição e a renovação de saberes no sempre novo cenário da ciência”, nas palavras de Jacques Marcovitch, presidente da Fundação Bunge e reitor da USP, no período de 1997 a 2001. Para ele, a ciência – por seu papel na iluminação das mentes – continuará credora da humanidade por mais que seja homenageada.

(Com informações da Agência Fapesp / Foto: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados