Cinema da USP realiza mostra que une filmes e antropologia

Entre 7 e 30 de maio, evento exibe 20 filmes e palestras com professora da USP e da Columbia University

Por - Editorias: Cultura
Cartaz de divulgação da mostra Cinema e Antropologia – Foto: Divulgação / Cinusp

O Cinema da USP (Cinusp) Paulo Emílio realiza, de 7 a 30 de maio, a mostra Cinema e Antropologia, uma seleção de filmes que se utilizaram da antropologia, durante os últimos 120 anos da história do cinema, como forma de analisar as relações que os indivíduos estabelecem com as culturas e os meios aos quais estão inseridos.

Dentre os 20 filmes selecionados pela curadoria — feita pelo Cinusp em parceria com Richard Peña, professor da Columbia University — destaca-se Nanook, o Esquimó (Nanook of the North, 1992), de Robert J. Flaherty, primeiro documentário antropológico de longa-metragem que retrata a vida de Inuk Nanook, um esquimó do ártico canadense que luta diariamente pela sobrevivência de sua família, habitantes de um ambiente isolado e hostil à vida humana.

Mostra traz ao público as várias abordagens antropológicas utilizadas por diretores em 120 anos de história do cinema – Foto: Divulgação / Cinusp

Outro destaque vai para a parceria entre os sociólogos Edgar Morin e Jean Rouch na direção de Crônica de um Verão (Chronique d’un Èté, 1961), obra inovadora por trazer ao espectador um método de análise antropológica que constrói o filme através de entrevistas com personagens, afastando o diretor de julgamentos ou análises baseadas em uma cultura diferente das dos indivíduos retratados.

Essa colaboração entre Morin e Rouch tiveram influência direta nos trabalhos de cineastas como Eduardo Coutinho, também parte da programação da mostra. Em Babilônia 2000 (idem, 2001), Coutinho utiliza-se de cinco equipes de filmagens para acompanhar os moradores de duas favelas do Morro da Babilônia (Rio de Janeiro, RJ) em seus preparativos para a festa de Réveillon do ano 2000, registrando as expectativas dos moradores para o novo ano que viria. Babilônia 2000 é uma das obras que melhor sintetiza um dos princípios da escola conhecida como Cinema Verdade: conduzir sem intervir.

Palestras

Foram incluídas, dentro da programação da mostra, as palestras da disciplina “Cinema e Antropologia”, do Programa de Pós-graduação em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, ministrada por Peña e a professora Patrícia Moran, da ECA.

Personagens do documentário Babilônia 2000, de Eduardo Coutinho, uma das obras selecionadas para a mostra Cinema e Antropologia – Foto: Divulgação / Cinusp

Abertas ao público e sem necessidade de inscrição prévia, as palestras acontecerão logo após 8 das 36 sessões da mostra, que por sua vez serão precedidas de aulas que se iniciam às 18h30. Já os alunos de pós-graduação da USP poderão se inscrever na disciplina, com direito a créditos, controle de frequência e avaliação, através do sistema Janus, podendo solicitar informações pelo e-mail ppgmpa@usp.br.

A mostra Cinema e Antropologia acontece de segunda a sexta-feira, às 16 e às 19 horas, no Cinusp, localizado na Rua do Anfiteatro, 181, Colmeias, favo 4, na Cidade Universitária, em São Paulo. A entrada é gratuita. Mais informações podem ser obtidas na página do Cinusp (www.usp.br/cinusp).

Textos relacionados