Sistema TempoCampo agora tem aplicativo para celular

O sistema que inicialmente foi criado para computador agora ganha um aplicativo, disponível no Google Play

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Aplicativo traz informações sobre como a cultura da cana-de-açúcar se desenvolve em relação à parte climática - Foto: Gerhard Waller
Aplicativo traz informações sobre como a cultura da cana-de-açúcar se desenvolve em relação à parte climática – Foto: Gerhard Waller

.
O Sistema TempoCampo – Esalq, lançado em agosto pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, desenvolveu um aplicativo de celular, o TempoCampo. O software tem a mesma função do sistema do computador, com boletins já divulgados e novos boletins, sobre como a cultura da cana-de-açúcar se desenvolve em relação à parte climática. Além da cana, o aplicativo, que ainda está em fase de desenvolvimento, trará os campos já direcionados à cultura da soja e do milho.

O Sistema TempoCampo é um produto de diversos projetos de pesquisa na área de modelagem agrícola e agrometeorologia da Esalq. Essa ferramenta visa a quantificar o clima em termos de produção agrícola, trazendo um indicativo ao agricultor no sentido de averiguar se o clima está auxiliando ou penalizando a produção. O objetivo do aplicativo é de apoiar a tomada de decisão do agronegócio brasileiro, oferecendo projeções futuras de produtividade das culturas de cana-de-açúcar, milho e soja para as principais regiões produtoras do Brasil.

Segundo Felipe Gustavo Pilau, do Departamento de Engenharia de Biossistemas, ele e o professor Fabio Ricardo Marin, coordenador do projeto e precursor da ferramenta, partiram da ideia de que o agricultor teria mais acesso se esse sistema estivesse no celular, não apenas no computador. “Hoje, disponibilizamos no Google Play a versão do TempoCampo para celular. Dentro do aplicativo você encontra informações sobre a cultura da cana e como está seu desenvolvimento em relação à parte climática. Além disso, lá existem campos já direcionados à soja e ao milho”, disse Pilau.

Felipe Pilau conta que, a partir do momento que o Sistema TempoCampo foi ao ar, no site, eles tiveram um feedback positivo de produtores, usinas e interessados em conhecer o sistema. O retorno foi tão grande que muitas pessoas buscaram e quiseram saber se o aplicativo criado poderia trazer as mesmas informações para laranja, café, soja, milho, e se dava para transformar o produto para as demais culturas. “Isso foi motivador, pois vimos que o sistema teve uma repercussão muito grande”, conta o professor.

No Departamento de Engenharia de Biossistemas, os professores trabalham com a questão de modelagem. A agrometeorologia usa informações meteorológicas que servem para estimar como está a produção agrícola e como a planta está no campo, se ela está sendo favorecida ou prejudicada pelos elementos meteorológicos.

Caio Nogueira / Divisão de Comunicação da Esalq

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados