Tecnologia da indústria brasileira continua defasada

O setor industrial não é competitivo por fatores como má gestão e atraso tecnológico, aponta especialista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Estudo da Confederação Nacional da Indústria aponta que o setor ampliou o uso de insumos importados e não melhorou a competitividade do produto brasileiro nos últimos quinze anos. Os Coeficientes de Insumos Importados, que medem o quanto da indústria nacional é suprida por produtos do exterior, saltou de 16,5% para 25%. A produção brasileira de manufaturados caiu de 0,82% para 0,59%.

Foto: Divulgação

Para Mario Sergio Salerno, professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP (Poli) e Coordenador do Observatório da Inovação e Competitividade do  Instituto de Estudos Avançados (IEA), este contexto é fruto de um problema estrutural. Segundo o professor, a indústria brasileira não alcançou o nível tecnológico suficiente para competir no mercado internacional. O especialista enfatiza que a disputa no mercado internacional deveria ser permanente, não uma alternativa para períodos de retração no cenário interno do país. Salerno aponta a má gestão como um problema grave, criticando a interrupção de programas públicos para o fomento da competitividade e inovação.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados