Recuperação industrial e desemprego indicam melhora da economia

Segundo dados do IBGE a retomada foi de 0,8% da atividade industrial, mas consistência é qualitativa

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A indústria registrou expansão em relação ao mesmo período do trimestre passado – Foto: Gilson Abreu/Fiep/Arquivo

 

Dois dados apresentados pelo IBGE, esta semana, indicam uma melhora na economia brasileira. De um lado, a produção industrial que em maio subiu 0,8% sobre o mês de abril, melhor desempenho desde 2011, e 4% sobre maio do ano passado.

Mais do que o tamanho do crescimento, o levantamento do IBGE revela uma consistência qualitativa. A retomada ocorreu em 17 dos 24 ramos de atividade industrial.

A segunda informação relevante do IBGE diz que a taxa de desemprego foi de 13,3% no trimestre encerrado em maio. No trimestre encerrado em abril, essa taxa foi maior, de 13,6%. Segundo o instituto, existiam em maio 13,771 milhões de desempregados.

O professor Sérgio Sakurai, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP, analisou os dados. Para ele, a indústria é o primeiro setor a sentir a crise e o último a retomar o crescimento e a geração de empregos vem ganhando corpo, mas ainda é cedo para falar sobre recuperação. Para o  professor, a economia está melhorando.

Por Ferraz Junior

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail