Perdas auditivas por lesão no ouvido interno são irreversíveis

Professor alerta para o risco de hábitos que expõem indivíduos a volumes de som acima do recomendado

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, cerca de 1,1 bilhão de jovens correm o risco de ter perda auditiva por conta de hábitos de exposição a altos volumes de som. Ricardo Bento, professor do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da USP e diretor da Divisão de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas, afirma que lesões no ouvido interno são irreversíveis.

Dentre os costumes que podem levar à perda de audição estão o uso constante de fones de ouvido e o trabalho em ambientes ruidosos. Bento conta que o organismo humano não está preparado para a exposição constante a volumes acima de 85 decibéis. Além disso, fatores biológicos, hereditariedade e doenças podem levar à surdez.

Segundo o professor, a partir dos 60 anos é natural que se diminua gradualmente a audição. Hoje, com a expectativa de vida em torno dos 75 anos, a prevenção da surdez se coloca como essencial, uma vez que aos 40 anos já se tem observado perdas importantes nesse sentido. Bento alerta, ainda, que as lesões trazem consigo problemas de cognição e isolamento social e profissional, configurando, assim, uma estreita relação entre audição e qualidade de vida.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados