Microbiota intestinal pode ajudar ou dificultar perda de peso, sugere pesquisa

Estudo americano acompanhou 105 pessoas por um período de seis a 12 meses

 23/09/2021 - Publicado há 1 mês
Por

Uma pesquisa publicada recentemente pela Sociedade Americana de Microbiologia sugere que a microbiota intestinal pode ajudar ou dificultar a perda de peso. A grande novidade é que, desta vez, a pesquisa, coordenada por Christian Diener, de Washington, foi realizada com seres humanos.

Um grupo de 105 pessoas que participavam de um programa comercial de emagrecimento focado em intervenções saudáveis foi acompanhado por uma equipe de monitoramento multidisciplinar, incluindo nutricionistas. Nessa coorte, os pesquisadores compararam um grupo de 48 pessoas que perderam mais do que 1% do seu peso por mês, durante um período de seis a 12 meses, e 57 indivíduos que não perderam nenhum peso no mesmo período. 

Os cientistas coletaram o material para estudo genômico do sangue e das fezes antes e depois do programa de emagrecimento, além de analisarem a dieta, os metabólitos do sangue, as proteínas, os vários parâmetros em dosagem laboratorial e a microbiota intestinal nos dois grupos. 

Pesquisas anteriores, realizadas com camundongos, já mostraram que a microbiota intestinal, que é o conjunto de bactérias do intestino, difere em animais obesos e magros. E outras pesquisas recentes mostraram também em camundongos que a transferência da microbiota de animais jovens para idosos melhora a sua capacidade cognitiva.

Mayana Zatz, coordenadora do Centro de Estudos sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) da USP, fala sobre os detalhes e os resultados do estudo. 


Decodificando o DNA
A coluna Decodificando o DNA, com a professora Mayana Zatz, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.