Os riscos da automedicação para regular a microbiota intestinal

Luiz Troncon diz que os laxantes são remédios e não devem ser consumidos sem supervisão médica

 03/08/2021 - Publicado há 4 meses
Por
A constipação intestinal atinge 30% da população, sendo mais comum em mulheres, normalmente por influência dos hormônios – Arte: Moisés Dorado

 

Não existe sensação mais desagradável do que estar com o intestino mal regulado. Preso ou solto a situação é bem desconfortável, principalmente quando estamos fora de casa. Mas será que existe alguma “fórmula mágica” para resolver o problema?

Justamente por ter muitas variáveis a resposta é não. O gastroenterologista Luiz Ernesto de Almeida Troncon, professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP explica que “os probióticos, prebióticos e os simbióticos ajudam no funcionamento do intestino. Eles são alimentos, medicamentos ou produtos que regulam a nossa microbiota”.

Uma maneira mais simples de entender é que os probióticos são as bactérias benéficas do nosso organismo e os prebióticos são as fibras utilizadas por essas bactérias. A microbiota nada mais é do que a flora intestinal, onde existem as bactérias.

Sem dúvida a constipação, ou intestino preso, é a principal reclamação de quem vai a uma farmácia atrás de uma solução para o problema. Luiz Troncon alerta que os laxantes são remédios e não devem ser consumidos sem supervisão médica.

Os cuidados também servem para os chamados remédios naturais conhecidos como fitoterápicos. Alguns causam irritação no aparelho digestivo e outros acabam viciando o organismo a usar esses produtos.

A constipação intestinal atinge 30% da população, sendo mais comum em mulheres, normalmente por influência dos hormônios. O avançar da idade também pode causar uma disfunção, assim como alguns remédios.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.