Idosos são retratados de forma estereotipada pela mídia

A professora Sandra Souza analisa os estereótipos utilizados para retratar a velhice em anúncios, com os quais o público dessa faixa etária pouco se identifica

 Publicado: 19/11/2021
Idosos de diferentes idades apresentam demandas e limitações distintas – Foto: Vormingplus/Flickr-CC

A imagem dos idosos na mídia é comumente estereotipada e não se adequa às verdadeiras necessidades e nuances dessa faixa etária. A professora Sandra Souza, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, fala ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição sobre o estudo que conduziu para analisar a representação da velhice em peças publicitárias, em especial imagens que retratam a relação dos indivíduos com tecnologias de informação e comunicação. 

Primeiramente, Sandra explica que a aparição de idosos na mídia segue dois possíveis padrões: o idoso é retratado como uma pessoa fragilizada e dependente – opção pouco explorada na publicidade, por não corresponder ao ideal de vida que a mesma promove -, ou de forma romantizada. Conforme a professora, a narrativa midiática “traz uma versão da velhice na qual a pessoa vive eternamente com alguém ao seu lado, envelhece e morre com seu parceiro, e não possui limitação alguma. As pessoas que chegam nessa faixa etária não se veem nesses anúncios”.

Para Sandra, as falhas na representação da velhice ocorrem porque quem cria tais imagens é o adulto contemporâneo, que ainda não chegou nessa fase da vida. “Os idosos estão cada vez mais utilizando a tecnologia e, com a ascensão do marketing digital, eles estão perdendo um mercado consumidor em potencial”, conta a professora.

Para uma representação transparente e precisa da velhice, Sandra recomenda “ouvir essas pessoas, e não presumir que se sabe tudo sobre elas”. Além disso, a entrevistada ressalta a necessidade de retratar tal público de forma menos homogênea, uma vez que idosos de diferentes idades apresentam demandas e limitações distintas.

Confira aqui o estudo completo.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.