Aluna da USP é embaixadora de desafio mundial de segurança alimentar

Jéssica Gimenes, estudante de Engenharia Agronômica no campus de Piracicaba, foi escolhida para representar o evento no Brasil

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn28Print this pageEmail
Foto: Jéssica Gimenes
Competição anual reúne estudantes universitários de todo o mundo – Foto: Divulgação/Jéssica Gimenes

.
O desafio
Thought For Food (TFF) é, segundo sua própria definição, “um movimento dedicado a atacar o desafio global de alimentar mais de nove bilhões de pessoas através de soluções inovadoras”. Para tanto, o programa instiga jovens universitários a elaborar projetos criativos para solucionar a injusta distribuição de alimentos pelo mundo. Anualmente, cerca de 300 projetos de todo o mundo competem pelos prêmios oferecidos pelo TFF e seus apoiadores.

Através do evento, surgiram propostas nos mais diversos temas: desde telhados verdes onde se pode plantar alguns alimentos, um aplicativo semelhante ao app de relacionamentos Tinder, onde os agricultores podem encontrar prestadores de serviço com mais facilidade, a uma startup que transforma alimentos em pó conservando 90% das suas características nutritivas.

Foto: Divulgação/Jéssica Gimenes
A estudante de Engenharia Agronômica Jéssica Gimenes – Foto: Arquivo pessoal

Jéssica Gimenes, estudante de Engenharia Agronômica na USP de Piracicaba, conheceu o TFF em 2014 quando uma colega inscreveu seu projeto de doutorado no desafio. Apesar de não ter se classificado para a etapa final, o grupo de Jéssica foi chamado para acompanhar o Global Summit de 2015, evento onde são apresentados os dez melhores projetos do ano. “Tive um mês para arrumar um passaporte e ir para Lisboa”, relata. Foi nesse momento que a estudante recebeu o convite para se tornar embaixadora do desafio no Brasil.

Ela explica que, como embaixadora, acumula diversas funções relacionadas à divulgação do TFF. “Cabe a mim divulgar o desafio, esclarecer o que é e como é possível alimentar nove bilhões de pessoas. Também fico responsável por disseminar o concurso em jornais e eventos, além de promover encontros com os grupos inscritos para elucidar os intuitos do TFF.” Ela aponta que mantém contato constante com os grupos brasileiros que participaram ou ainda participam do evento, simbolizando um elo entre a organização do programa e os estudantes.

Através de uma plataforma estabelecida no Facebook, os embaixadores de todos os países também se relacionam, trocam experiências e conhecimentos. Jéssica acredita que este intercâmbio é fundamental para dimensionar o problema num nível global. “A realidade dos países é muito diferente. Algo que parece óbvio para os brasileiros pode nem passar pela cabeça de um asiático ou um africano e vice-versa. Por isso sempre digo aos grupos que nenhuma ideia é simples demais”, explica.

20161011_03_ThoughtForFood
Todo ano são selecionados dez grupos finalistas da competição – Foto: Divulgação/Jéssica Gimenes

A estudante afirma que o Thought For Food permite que os jovens tenham a oportunidade de vivenciar uma experiência extremamente enriquecedora, mesmo sendo “somente” alunos de graduação. “O Igor [Ciambelli, amigo e finalista do TFF com o projeto Rooty Roofs] costuma dizer que é um aluno mediano, com reprovações e notas baixas, que não conseguiria se projetar dentro do meio acadêmico, mas graças ao TFF pôde viver algo que tanto agregou para sua vida”.

Jéssica conta que o fato de ser embaixadora possibilitou mostrar para as pessoas que elas podem fazer o bem, mesmo com uma ação pontual ou insignificante. “O TFF abriu minha cabeça, me fez perceber que minhas necessidades são semelhantes às de alguém que mora do outro lado do mundo”, reitera. Ela acredita que não são necessárias ações monumentais e orquestradas por grandes instituições para combater a fome e a subnutrição: “Alimentar 5 mil pessoas da sua comunidade já é um caminho para acabar com a fome no mundo”.

Participe

Ao final das apresentações no Global Summit, o grupo detentor do melhor projeto recebe 15 mil dólares para investir em sua startup. O segundo melhor programa recebe 5 mil dólares com o mesmo propósito. Além disso, os patrocinadores e apoiadores do TFF oferecem diversos prêmios para os projetos que mais se aproximarem dos seus propósitos.

Interessados podem se inscrever no desafio até o dia 31 de outubro. É preciso acessar o site, criar uma conta e a página da equipe. Para participar não é necessário já ter uma ideia ou projeto. Estudantes universitários de graduação ou pós-graduação de qualquer país e idade podem participar, formando equipes de três a cinco membros.

Mais informações: site http://www.tffchallenge.com/

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn28Print this pageEmail

Textos relacionados