USP criará centro de treinamento de cães-guia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Estiveram presentes à cerimônia de assinatura do convênio (da esquerda para direita), o vice-diretor da FMVZ, Enrico Lippi Ortolani; a secretária Linamara Rizzo Batistella; o diretor da Unidade, José Antonio Visintin; a coordenadora do projeto, Denise Tabacchi Fantoni; e a reitora Suely Vilela

A USP, através da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), e a Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência assinaram, no dia 24 de novembro, um convênio para o desenvolvimento de ações conjuntas voltadas a pessoas com deficiência visual. A principal dessas ações é a criação do Centro de Estudos e de Treinamento do Cão-Guia, que será implantado na área da própria Faculdade, no campus de São Paulo, e deverá entrar em funcionamento a partir de 2010.

Segundo o diretor da FMVZ, José Antonio Visintin, o projeto nasceu a partir da iniciativa de duas alunas formandas da Unidade, Maria Fernanda Innocencio Rizzo e Julia Bezerra, e será coordenado pela professora Denise Tabacchi Fantoni. “Este será um dos projetos sociais mais importantes da USP”, ressaltou o diretor, na cerimônia de assinatura do convênio.

Para a secretária Linamara Rizzo Battistella, “este não será apenas um centro de treinamento, mas será o melhor centro de treinamento de São Paulo, pois associará a assistência à formação de recursos humanos na área e possibilitará uma vida com qualidade e dignidade aos portadores de deficiência visual”.

A construção e o custeio do novo centro, que treinará cerca de 30 cães-guias por ano, contarão com investimentos do Governo Estadual. De acordo com o Censo 2000 do IBGE, dos 24,6 milhões de brasileiros que declaram ter deficiência, 48,1% apresentam algum tipo de deficiência visual.

“O papel da Universidade é o de buscar soluções para o desafio da inclusão social”, declarou a reitora Suely Vilela. “E a criação deste novo centro é a clara demonstração da dimensão desse tema dentro da Instituição”, completou.

Os cães-guias

Cão-guia da raça labrador em atividade

O cão-guia, geralmente das raças labrador e golden retriever, inicia seu trabalho aos cerca de 20 meses de idade, aposentado-se aos oito anos de atividades. O adestramento básico é feito dos dois aos 14 meses, quando o animal passa à fase de treinamento específico para guia de cegos, que pode durar de quatro a seis meses. Depois dessa fase, o cão é doado à pessoa com deficiência visual.

Para quem quiser saber mais sobre esse assunto, a FMVZ oferecerá, no próximo dia 3 de dezembro, das 19h às 22h, o curso “A importância do cão-guia na sociedade”. A inscrição custa R$ 20 e pode ser feita no próprio dia e local do curso (clique aqui para ver a programação). A Faculdade está localizada à Avenida Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva, 87, na Cidade Universitária, em São Paulo.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados