Fotos: Divulgação/HU USP

Hospital Universitário da USP: 40 anos salvando vidas com ensino e pesquisa

Localizado na cidade de São Paulo, o HU é vinculado ao SUS e atende a comunidade uspiana e moradores da região oeste de São Paulo

 25/08/2021 - Publicado há 3 meses

Redação

“Aprendi com os pacientes a ser mais humana, a ter empatia, a ouvir mais, a ser mais flexível… chorei com eles, sorri, me encantei, vibrei, chateei-me, amadureci.” Mais que experiência profissional, trabalhar no Hospital Universitário (HU) da USP tem sido um aprendizado de vida para a enfermeira Alda Valéria Neves Soares Gomes. Ela ingressou no hospital em 1987 e contou uma parte de sua história no HU para comemorar os 40 anos da unidade, completados no dia 6 de agosto.

Esse e outros depoimentos de funcionários, voluntários e pessoas que tenham relação com o hospital estão no site criado para marcar a data. Lá é possível ainda acompanhar os eventos, ações comemorativas e conferir a história e fotos sobre a trajetória do hospital ao longo dessas quatro décadas.

“O HU vem se consolidando como um importante centro de ensino, pesquisa e assistência”, destaca Paulo Francisco Ramos Margarido, superintendente do Hospital Universitário e professor da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em sua mensagem.

As disciplinas de práticas clínicas e cirúrgicas de estudantes da Universidade são realizadas no HU. Isso inclui estudantes de diferentes unidades de ensino, como Medicina, Enfermagem, Odontologia, Nutrição, Psicologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Ciências Farmacêuticas e Serviço Social. Em média, todos os anos, o hospital recebe cerca de 2,5 mil alunos e tem uma produção de 400 pesquisas.

Paulo Francisco Ramos Margarido - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Paulo Francisco Ramos Margarido, superintendente do HU - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O reitor da USP, Vahan Agopyan, lembra que o hospital é uma plataforma de ensino para diversas áreas de saúde, mas também importante recurso para a saúde de alunos e funcionários (e dependentes) da USP, além de moradores do distrito do Butantã, na zona oeste de São Paulo.

“Próximo de completar 40 anos de atividade, o HU teve uma atuação importante durante essa pandemia [causada pela covid-19], posicionando-se como um hospital preferencialmente não covid, de retaguarda ao Hospital das Clínicas [HC] da Faculdade de Medicina. O que foi vital para a manutenção do atendimento das doenças mais frequentes da nossa população”, disse o reitor em sua mensagem.

Vídeo comemorativo sobre a história do Hospital Universitário da USP e apresentação do Coral do HU. Clique nos players para assistir:

HU na década de 80 e nos anos 2000 - Foto: Divulgação /HU e USP Imagens

Só nos últimos dois anos, o Programa de Extensão de Serviços à Comunidade SUS-Butantã registrou mais de um milhão de exames complementares, quase 137 mil consultas, cerca de 14 mil internações, 5.336 cirurgias e mais de 4.300 partos. 

O Hospital Universitário é considerado uma unidade de média complexidade e está vinculado ao Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, todo o atendimento é realizado de forma gratuita para a população. Cada procedimento/ atendimento realizado no HU tem recursos repassados pelo Ministério da Saúde de acordo com uma tabela, que nem sempre cobre os gastos totais. Todo o custeio e investimento são feitos pela USP, que giram em torno de R$ 350 milhões ao ano.

No SUS, há três três níveis de atenção: no primeiro, estão as unidades básicas de saúde (UBS), consideradas a porta de entrada do sistema e onde são agendadas consultas e exames, além da realização de procedimentos menos complexos, como vacinação e curativos. 

No segundo nível de atenção, também conhecido como média complexidade, estão as clínicas, unidades de pronto-atendimento (UPAs) e hospitais-escolas – como o HU, que dão conta de alguns procedimentos de intervenção, além de tratamento de casos crônicos a agudos de doenças.

No terceiro nível, de alta complexidade, estão os hospitais de grande porte – como o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP), onde são realizadas manobras mais invasivas e de maior risco à vida.

Nascido para o ensino e a pesquisa

Em 1966, durante uma reunião da Congregação da Faculdade de Medicina da USP, surgiu a proposta de criação de um novo curso de Medicina na USP, diferente daquele que já existia desde 1921. A ideia era adotar novas estratégias de ensino e aliar o curso teórico e prático, além de organizar as diferentes áreas médicas, e para isso seria necessário um hospital de ensino.

Daí vem a proposta de criar o Hospital Universitário que seria voltado para o ensino da área médica e também para o ensino de outras áreas da saúde, como enfermagem, odontologia, farmácia,  psicologia e saúde pública.

A obra começou em 1969 e foi concluída em 1978. No dia 6 de agosto de 1981, o HU foi inaugurado, tendo como marco inicial o atendimento em pediatria. Depois, iniciou-se o atendimento em ginecologia e obstetrícia, com o primeiro parto em 31 de dezembro de 1981. Naquele ano, começaram ainda as atividades da Divisão de Laboratório Clínico, que foi estruturada pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP. A Clínica Médica surgiu no primeiro semestre de 1985 e a Clínica Cirúrgica, no segundo semestre do mesmo ano.

Confira o site comemorativo dos 40 anos do HU neste link.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.