A USP é a melhor universidade da América Latina e a brasileira mais bem colocada entre as instituições internacionais. As afirmações são dos rankings mundiais divulgados ao longo de 2018 e neste ano, como Times Higher Education (THE) e Quacquarelli Symonds (QS).

Quem ajuda a conquistar a posição são os quase 6 mil professores, 90 mil alunos de graduação e pós-graduação, e os 13,7 mil funcionários. A comunidade uspiana de 109,7 mil pessoas concentra-se nas unidades e órgãos mantidos pela Universidade nas cidades de São Paulo, Ribeirão Preto, São Carlos, Piracicaba, Pirassununga, Bauru, Lorena, Santos e São Sebastião.

Os números dimensionam a grandiosidade da USP, mas, não refletem as histórias profissionais e de vida das pessoas que contribuem para o lugar de destaque que a instituição alcançou. Tudo começa na década de 1930, quando um grupo de intelectuais e políticos começa a pensar nas bases da primeira universidade do Estado de São Paulo: a USP.

A escolha da data para oficializar a criação da nova instituição foi precisamente um 25 de janeiro, quando se comemora o aniversário da capital paulista. O ano, 1934. O “presente” em formato de decreto (nº 6.283) do então interventor estadual, Armando de Salles Oliveira, não seria apenas para os paulistas.

À época, a proposta para a nova universidade era uma educação mais abrangente e moderna, com fomentos à ciência e à tecnologia. O principal: criar uma elite capacitada que pudesse liderar o País. O projeto deu certo.

Desde 1889, quando o Brasil passa a ser uma República, são contabilizados 41 presidentes; desses, 14 estudaram na USP, incluindo os formados na Faculdade de Direito antes da incorporação à Universidade.

Ela é responsável por mais de 20% da produção científica do Brasil. Está entre as instituições de pesquisa que mais publicam estudos científicos no mundo. Produz tecnologia avançada. Forma profissionais em todas as áreas do conhecimento, contribui com a formulação de políticas públicas, coordena hospitais de referência, possui museus e centros de divulgação científica e cultural, oferece inúmeros serviços à sociedade.

A USP em números

Os desafios da Universidade para o reitor Vahan Agopyan

Nos 85 anos da USP, o reitor resgata a memória da criação da Universidade, fala sobre as mudanças ocorridas ao longo destas mais de oito décadas e comenta as perspectivas para os próximos anos. Confira nos vídeos abaixo os temas em destaque:

A Universidade ontem e hoje

Os aspectos históricos e políticos da fundação da Universidade de São Paulo

Peculiaridades e desafios

As características da USP e a resposta às demandas da sociedade

Pública e gratuita

Recursos públicos como o principal fomento das universidades de pesquisa

A Universidade no mundo

A internacionalização como ferramenta para a qualidade e a relevância da pesquisa conjunta

Autonomia e futuro

O impacto da autonomia financeira e administrativa no desenvolvimento da USP