Professores da Educação Básica concluem curso para uso de tecnologia nas aulas

Parceria entre a Cátedra Sérgio Henrique Ferreira e o Centro Universitário Facens oferece formação on-line para mil professores da região de Sorocaba

 06/12/2023 - Publicado há 3 meses
Por

Diariamente a tecnologia incorpora uma infinidade de ferramentas, soluções e possibilidades de articulação de saberes e meios de construção de aprendizagens e produção de conteúdos. O contexto demanda ainda mais que os profissionais da educação estejam sempre alinhados com as atuais discussões e as estratégias de ensino e aprendizagem envolvendo recursos tecnológicos. Com esse objetivo, a Cátedra Sérgio Henrique Ferreira e o Centro Universitário Facens elaboraram o curso de formação continuada O Professor do Século XXI: Tecnologias, Ensino e Aprendizagem, voltado para profissionais da Educação Básica.

A primeira edição do curso se encerra agora em dezembro e teve participação de cerca de mil professores, todos da rede estadual de São Paulo atuando na Diretoria Regional de Ensino de Sorocaba. Entre agosto e novembro, eles participaram de uma webconferência masterclass e encontros semanais remotos e síncronos (virtual ao vivo), com conferencistas convidados e professores da Facens. Agora, os participantes precisam apresentar um plano de aula, com uma das temáticas abordadas ao longo do curso, que possa ser aplicado na sala em que cada professor-cursista atua.

“Pensar sobre as tecnologias na educação significa diretamente refletir sobre as práticas pedagógicas e as múltiplas possibilidades de processos educativos, entendendo que a tecnologia faz parte do universo da aprendizagem como meio indissociável”, afirmou Antonio Gouveia, professor da Facens que coordenou o curso ao lado do titular da Cátedra, Mozart Neves Ramos. “Esta é uma grande iniciativa e tivemos o cuidado de elencar as discussões mais atuais sobre o tema ao estruturar o projeto”, completou.

A jornada formativa foi articulada em seis módulos, com enfoque teórico-prático. Entre os temas, estão discussões sobre o perfil do educador diante dos avanços tecnológicos, a contribuição da tecnologia para melhores aprendizagens, o uso de ferramentas tecnológicas nas metodologias ativas de aprendizagem, as estratégias gamificadas (jogos e robótica), a avaliação da aprendizagem nesse cenário, assim como reflexões sobre inclusão, desigualdades e possibilidades para enfrentar desafios em realidades com recursos limitados.

No ambiente imersivo de aprendizagem desenvolvido pelo Laboratório de Inovação em Games e Apps (Liga) da Facens, com possibilidades de acesso a recursos e mídias diversificados, os cursistas também puderam conhecer soluções tecnológicas para selecionar, organizar e planejar práticas pedagógicas desafiadoras e significativas para os estudantes, ampliando seu próprio portfólio de ferramentas para a sala de aula. Especialistas como Lúcia Dellagnelo, Maria Helena Guimarães, Kátia Smole, Debora Garofalo, Ivan Siqueira e Chico Soares apresentaram novas reflexões e análises sobre o tema em vídeos exclusivos para o curso.

Estratégias de formação continuada

Com foco em promover uma formação consistente e aprofundada, que desenvolva competências e habilidades para educadores enriquecerem suas práticas pedagógicas, o curso tomou como referência a Base Nacional Comum para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica. Sob relatoria de Mozart Neves Ramos quando no Conselho Nacional de Educação (CNE), essas diretrizes representam uma atualização das políticas de formação docente requeridas para gerar aprendizagens significativas à luz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

“Sabemos que é possível utilizar recursos tecnológicos para obter melhores resultados na aprendizagem dos estudantes, desde que sejam oferecidas as condições necessárias. É importante e urgente que programas de formação de educadores ofereçam as ferramentas para isso”, afirmou Mozart Neves Ramos.

A expectativa é que o curso seja o início de um percurso formativo que terá novas oportunidades em 2024, unindo a produção de conhecimentos da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira à experiência em inovação e tecnologia do Centro Universitário Facens.

Sobre a Cátedra

A Cátedra Sérgio Henrique Ferreira é uma iniciativa do IEA-RP financiada pelo Santander Universidades com o objetivo de buscar formas efetivas de contribuição para políticas públicas de cidades de médio porte. Também possui recursos de parceiros que financiam projetos específicos, como a B3 Social, a Fundação Telefônica e a Fapesp. Atualmente concentra seus trabalhos na área educacional, integrando instituições e iniciativas locais para a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem em municípios de várias regiões do Brasil.

*Assessoria de Comunicação da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira, IEA-RP


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.