Para professora, investimento privado em ciência deve ser estimulado no Brasil

Mayana Zatz defende reforma da legislação brasileira, que dificulta o investimento privado em ciência

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Na nova edição de Decodificando o DNA, a geneticista Mayana Zatz, professora do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP, comenta sobre sua participação em um encontro, no Rio de Janeiro, que reuniu jovens cientistas agraciados pelo apoio do Instituto Serrapilheira, primeira entidade privada de fomento à pesquisa no Brasil.

Oficialmente lançado em março de 2017, o Serrapilheira tem como principal objetivo, por meio de dotação de recursos, apoiar projetos de pesquisa e divulgação científica. Para Mayana, “foi uma experiência realmente enriquecedora”, em especial, neste momento de corte de recursos para cientistas. Para a professora, a integração de diferentes áreas da ciência pode resolver problemas comuns.

Além disso, Mayana defende que é necessário reformar a legislação brasileira, que, diferente do que acontece em países como os Estados Unidos, dificulta o investimento privado em ciência.

Ouça mais no áudio acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados