Crise nos Correios opõe visões sobre privatização

Estatal passa por uma crise e estimula polêmica sobre a eficiência dos seus serviços

Estatal que detém o monopólio dos serviços postais do País, os Correios passam por uma crise que estimula debates a respeito de seu futuro.

Para o professor Eduardo Luzio, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, a instituição “está desmantelada operacionalmente. Eu convido qualquer pessoa a ir numa agência dos Correios”, propõe. “Estão desfiguradas, parece que você está num camelódromo.”

Já o pesquisador Igor Venceslau Freitas, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, afirma que “o Brasil precisa de uma empresa de distribuição e logística desse porte”. Segundo ele, os problemas, principalmente nas entregas de encomendas, se intensificaram nos últimos “cinco ou seis anos”, associados a uma “questão política”.

A posição de Freitas é a de que “a privatização dos Correios é um fiasco”. Para Luzio, “não dá para justificar empresas estatais ineficientes como os Correios”.

Ouça a íntegra do áudio acima.

 

Textos relacionados