“Seja mulher, seja independente, mostre coragem”

Em evento na USP, Marike Paulsson, da Universidade de Miami, destaca a solidariedade entre mulheres para o empoderamento feminino


Palco do TEDxSãoPauloSalon sobre empoderamento feminino, no Auditório István Jancsó da BBM – Foto: Pedro Ezequiel

 

.

Com esta frase, Marike Paulsson, diretora do Programa de Resolução Internacional de Conflitos da Universidade de Miami, finalizou sua palestra no TEDxSãoPauloSalon para uma plateia de 200 pessoas. Ela e mais seis convidadas falaram sobre o empoderamento feminino durante evento organizado pelo Instituto de Estudos sobre a Paz e Resolução de Conflitos (GLIP) da USP, no campus Cidade Universitária, em São Paulo, no último dia 3.

.

.

Marike destaca o tema da sororidade (termo referente à solidariedade entre mulheres). Para ela, as mulheres devem ser independentes, mas também ajudar umas às outras a terem força para alcançarem seus objetivos. “Nós somos as responsáveis pelas nossas próprias mudanças.”

A pesquisadora tem 15 anos de prática e experiência acadêmica em direito internacional público, arbitragem internacional e litígios transnacionais. Ela é uma das maiores especialistas em cumprimento de tratados pelos estados e pela Convenção das Nações Unidas sobre Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras de 1958 (Convenção de Nova York), e frequentemente analisa juízes e políticos em todo o mundo sobre o tratado por meio de diálogos construtivos.

Marike Paulsson durante sua fala no TEDxSãoPauloSalon – Foto: Pedro Ezequiel

.

.

Vice-presidente do King’s College discursando em evento na USP – Foto: Pedro Ezequiel

Já Fumni Olonisakin acredita que o futuro está nas próximas gerações. A vice-presidente do King’s College, que também é professora de Liderança, Paz e Conflito na universidade inglesa, questiona a dificuldade de jovens ganharem confiança em situações de liderança diante de pessoas experientes.

Ela reforça a ideia de que os jovens são capazes de chegar a boas soluções na resolução de conflitos.

.

.

.

.

Histórias inspiradoras

.

.

.

Outra palestrante foi a empresária Sônia Hess de Souza, que trouxe a história do surgimento da camisaria catarinense Dudalina, empresa criada por seus pais. Mas, sob o seu comando, transformou-se em uma das maiores camisarias do País.

Helena lembra que nunca viu sua mãe aceitar um não facilmente e isso sempre a estimulou. Quando se tornou presidente da empresa, resolveu criar uma coleção de camisas para mulheres, o que alavancou a marca.

Atualmente, dedica-se ao terceiro setor, empoderando mulheres e fazendo a diferença através da educação. “Somos 50% da população, mas também somos mães dos outros 50”, reforça.

Empresária fala sobre a figura feminina e a educação – Foto: Pedro Ezequiel

.

.

Daniela Arrais é jornalista e desenvolve conteúdo na internet voltado para a empatia – Foto: Pedro Ezequiel

A jornalista Daniela Arrais é autora do blog Don’t touch my moleskine e cofundadora de Contente. Ela trabalhou no jornal Folha de S. Paulo e contou sobre o seu início de trabalho na internet, “quando tudo era mato por aqui”, brinca, e a euforia dessa nova forma de se comunicar.

O tom engraçado dá lugar à preocupação quando Daniela analisa a transformação que o meio digital tem passado. Na sua percepção, as pessoas utilizam tanto aquele meio à procura de atingir muitos likes e compartilhando notícias tristes, que já considera uma questão de saúde pública.

Contudo, ela pensa em um futuro mais humano da internet e faz isso através de seus trabalhos, voltados à empatia e ao respeito. “O like é o nosso investimento. No que estamos investindo? Em coisas boas? Temos que ter o desejo de recriar a internet, se conectar com você mesmo, com o outro e com o mundo.”

.

.

Ainda no tema da internet e empreendedorismo, Juliana Wallauer, cofundadora do podcast Mamilos, trouxe a transformação do seu produto em empresa. “Só faz um ano que me atirei nessa ideia de empreender.”

Ela explica que nunca gostou de falar sobre dinheiro, mas alerta para a necessidade quando se quer alavancar o próprio produto. Foi um processo tirar o podcast Mamilos da posição de hobby para o lugar de trabalho – uma vez que demandava muito tempo. Para ela, o segredo é criar bastante, mas ao mesmo tempo ter os pés no chão para lidar com planejamentos. “Vamos ser as melhores vendedoras dos nossos sonhos.”

Juliana Wallauer conta sua própria experiência no empreendedorismo durante o evento – Foto: Pedro Ezequiel

.

.

.

Política e educação

.

.

.

A professora Heloisa Pait faz seu discurso durante o TEDxSãoPauloSalon – Foto: Pedro Ezequiel

Heloisa Pait é professora de Sociologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e possui doutorado pela New School For Social Research na área de desafios individuais diante da comunicação mediada.

Para a professora, as eleições presidenciais do ano passado foram um momento de dificuldade para as mulheres, que tiveram que relacionar o papel cultural de serem mediadoras no âmbito familiar, de proteger as relações humanas e, ao mesmo tempo, se posicionar politicamente naquele contexto. “Os homens também têm que ter o cuidado de poupar a esfera íntima das relações, principalmente familiares.”

Ela ainda destaca a necessidade de aumentar a presença de mulheres em cargos de chefia e a questão da dupla jornada da vida profissional e doméstica.

.

.

A advogada, jurista e professora de Direito Internacional da Faculdade de Direito (FD) da USP, Maristela Basso, compartilhou com a plateia uma história que envolve o papel da educação e o seu caminho de volta para casa no Rio Grande do Sul.

Durante uma caminhada, ela avistou uma casinha que parecia ser de madeira. Olhou para dentro e viu que se tratava de uma escola. E, nas dependências da pequena escola, olhou para o mundo de fora. Um mundo de conhecimento regado de responsabilidade de aprender e transmitir.

“A melhor luz que existe é a que entra pela sala de aula. A melhor luz que existe é a que sai da sala de aula.”

 

Em sua fala, a advogada Maristela Bastos afirma a necessidade de voltar às memórias de cada uma – Foto: Pedro Ezequiel

.

.

.

Reitores USP e King’s College

.

.

Reitor do King´s College, Edward Byrne – Foto: Pedro Ezequiel

Vahan Agopyan, reitor da USP, e Edward Byrne, do King’s College, também participaram do TEDx e apresentaram um panorama sobre a atuação das mulheres nas universidades. Eles destacaram o trabalho que cada uma das duas instituições tem realizado para apoiar a igualdade de gênero.

Foi abordada também a necessidade não apenas de se falar sobre o assunto, como a importância da atuação dos homens para auxiliarem nas mudanças com relação a essa desigualdade. “Se temos mais de 50% de alunas, por que não temos a mesma porcentagem de professoras?” questionou o reitor da USP.

O reitor da USP, professor Vahan Agopyan – Foto: Pedro Ezequiel

.

.

.

TEDx

.

O formato de conferências independentes difundido ao redor do mundo tem como objetivo compartilhar ideias, inspirar e engajar as pessoas que assistem. Começou como um evento de tecnologia, entretenimento e design na Califórnia, recebendo o nome somente de TED.

A Cidade Universitária já sediou outros TEDx ao longo dos anos, trabalhando temas que foram desde a área da inovação até sustentabilidade.

Texto: Maria Paula Andrade e Pedro Ezequiel 

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.