USP consolida programa de incentivo ao esporte olímpico

A USP consolidou a primeira etapa do programa “A USP nos Jogos Olímpicos e Jogos Paraolímpicos 2016”, com a seleção dos oito atletas e 12 estagiários que terão importante atuação no projeto.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Os atletas e os estagiários selecionados, o coordenador geral do Programa, Alberto Carlos Amadio, e o reitor João Grandino Rodas

A USP acaba de consolidar a primeira etapa do programa A USP nos Jogos Olímpicos e Jogos Paraolímpicos 2016 – Programa de Incentivo e Suporte Técnico Esportivo. Em cerimônia realizada na tarde desta quinta-feira, dia 28 de junho, o reitor João Grandino Rodas recebeu os atletas, estagiários e representantes das Unidades que integram o programa. No encontro, os oito atletas e 12 estagiários do projeto assinaram os termos de outorga das bolsas e foram esclarecidos sobre as regras que irão nortear a iniciativa. O principal objetivo é inserir a USP técnica, científica e pedagogicamente nos Jogos Olímpicos de 2016, que acontecerá no Rio de Janeiro.

Em seu pronunciamento, o reitor destacou que os atletas e estagiários selecionados nesta primeira etapa terão importante atuação no programa. “Todos vocês são, a partir de agora, os ‘embaixadores’ desta iniciativa que pretende inserir, cada vez mais, o esporte no dia-a-dia da Universidade. Esta é minha colaboração para as futuras administrações da USP”, enfatizou.

O reitor também lembrou que este incentivo ao esporte será um caminho para que a USP se mantenha entre as maiores universidades do mundo. “Antes de qualquer coisa, precisamos ensinar a nossos alunos que o esporte é coisa séria”, ressaltou.

Investimentos e suporte

Na primeira parte do encontro, o coordenador geral do programa, Alberto Carlos Amadio, destacou os avanços do projeto, que foi instituído oficialmente no dia 3 de dezembro de 2010, e descreveu como será a participação dos atletas selecionados, estagiários e as principais características do programa. “Levamos um ano e meio para estruturar o programa até esta primeira etapa”, disse, ressaltando os investimentos de R$ 4,2 milhões que serão aplicados na iniciativa pela própria USP.

Os valores serão investidos, basicamente, em ações integradas para pesquisa; para avaliações de equipes e atletas nacionais; para educação continuada de atletas e treinadores; para suporte e treinamento de equipes olímpicas e paraolímpicas brasileiras e estrangeiras; e para o apoio a atletas olímpicos integrantes do quadro de alunos, funcionários e professores. Amadio lembrou ainda que, outros R$ 13,8 milhões, além dos valores destinados ao programa, serão destinados a reformas dos centros esportivos dos campi da Universidade. “No Cepeusp, por exemplo, já temos um projeto de remodelação do velódromo e da pista de atletismo”, informou.

Já o coordenador executivo do programa, Valdir José Barbanti, explicou que o programa não prevê que a USP prepare atletas. “Nossa universidade, numa iniciativa pioneira entre as instituições públicas de ensino superior, prestará suporte e auxílio a atletas bolsistas da universidade e também da comunidade externa desde que, comprovadamente, atendam os requisitos de seleção do projeto”, descreveu.

Para integrar o programa, o atleta deverá ter qualificação estadual, nacional ou internacional em sua modalidade. “Quem sabe, num futuro próximo possamos identificar um atleta com qualificação olímpica”, disse. O regime e os valores das bolsas destinadas aos atletas e estagiários do programa seguem as regras das entidades financiadoras de pesquisa e do Ministério do Esporte.

O programa

Instituído no dia 3 de dezembro de 2010, o programa A USP nos Jogos Olímpicos e Jogos Paraolímpicos 2016 – Programa de Incentivo e Suporte Técnico Esportivo é estruturado em quatro áreas temáticas de atuação: infraestrutura física, avaliações e exames de diagnóstico da saúde do atleta, oferecimento de cursos de reciclagem e capacitação para membros de equipes técnicas e a concessão de bolsas de suporte básico para alunos da USP que sejam atletas, talentos olímpicos ou monitores.

Para tanto, conta com a participação de Unidades da Universidade que atuarão em campos específicos no projeto. A Escola de Educação Física (EEFE), que realizará avaliações clínicas e funcionais e educação continuada; Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP), que atuará na coordenação executiva e concessão de bolsas para alunos da USP; Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), modalidades paraolímpicas; Faculdade de Medicina (FM), que atuará em avaliações clínico-funcionais; Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF), avaliações toxicológicas; Faculdade de Saúde Pública (FSP), avaliações nutricionais; Faculdade de Odontologia (FO), avaliações da saúde bucal; Centros de Práticas Esportivas dos campi, infraestrutura e instalações e modalidades olímpicas; e as Associações Atléticas Acadêmicas (LAAUSP), que auxiliarão na coordenação, organização e suporte técnico-administrativo.

A cerimônia contou ainda com a presença de representantes e diretores das unidades envolvidas no programa, bem como dos oito atletas selecionados: Ana Luiza Lopes Pallassão (FO), do remo; Arthur Gola de Paula, da Escola Politécnica (Poli), remo; Augusto de Paula Felipe (EACH), hockey sobre a grama; Bianca Miarka (EEFE), remo; Diana de Freitas Mathias (EACH), taekwondo; Gabriel Campos Alves de Moraes (EEFE), remo; Gabriele Matias Avelino Bonfim (EACH), natação; e João Augusto Hackerott, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), atleta da vela.

Mais informações: (11) 3091-9190 ou (16) 3602-0529, email olimpiadas2016@usp.br, ou no site do programa.

(Antonio Carlos Quinto, especial para a Sala de Imprensa / Foto: Marcos Santos)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados