USP oferece curso gratuito e palestras sobre habilidades relacionadas à leitura e escrita

O curso “Biologia e cultura na mente letrada” será entre 24 e 27 de janeiro e as palestras nos dias 30 e 31 de janeiro, sempre às 9h

 Publicado: 16/01/2023
Por
Foto: Flickr

O Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP promove, de 24 a 27 de janeiro, a partir das 9h, o curso gratuito Biologia e cultura na mente letrada, que tem como público-alvo alunos de pós-graduação de Psicologia e áreas afins. Além do curso, também serão oferecidas duas palestras, nos dias 30 e 31 de janeiro, às 9h, para o público em geral sobre literacia, que consiste no conjunto de habilidades, conhecimentos e ações relacionados à leitura e à escrita. Todas as atividades serão presenciais no campus da USP em Ribeirão Preto.

No curso será abordada a “arqueologia cultural, desde os sistemas de memória artificial até a numeracia, capacidade de usar números para contar e habilidades matemáticas para resolver problemas em situações da vida cotidiana, e a escrita, para chegar à noção de exaptação cultural, característica com uma função, mas que não foi produzida pela seleção natural para tal. Em seguida, serão ilustradas algumas propriedades importantes da exaptação cultural referindo-se, principalmente, à aquisição da literacia.

Ainda será discutida a importância de aquisições culturais na mente e cérebro e, mais especificamente, como a literacia modificou e ainda está modificando as formas de ver, ouvir, lembrar e conceituar o mundo”, conta a organização do evento. Também serão discutidas evidências comportamentais e neurocientíficas e, por fim, porque a literacia ocorre de forma heterogênea entre os seres humanos.

“Para além da patologia, vamos examinar o conceito de herdabilidade socioeconômica e sociocultural e ilustraremos esse conceito através dos efeitos da pobreza que têm sido observados em vários níveis, incluindo na epigenética (campo de pesquisa que investiga como os estímulos ambientais podem ativar determinados genes e silenciar outros) e nos substratos cognitivos e cerebrais que sustentam a aquisição da literacia”, adianta a organização.

Palestras sobre literacia

No dia 20 de janeiro, às 9h, a palestra O impacto sociocultural da literacia vai apresentar a literacia enquanto “ferramenta mental” que facilita o acesso à informação e à aquisição de novos conhecimentos. “Ela afeta muitas habilidades perceptivas e cognitivas, incluindo conhecimento e precisão de conceitos semânticos, processamento sintático, memória verbal, funções executivas e pensamento lógico. Isso nos leva a questionar se a literacia também contribui para aumentar a qualidade e a profundidade do pensamento crítico e, assim, se ajudaria a diminuir a vulnerabilidade à desinformação.”

Neste evento serão apresentados dados de adultos e adolescentes com níveis de alfabetização bastante distintos, as peculiaridades do perfil de leitura dos participantes com baixo nível de alfabetização, e discussões sobre a supercredulidade em relação à informação, incluindo a desinformação como a apresentada pelas teorias da conspiração, e acerca das várias formas pelas quais o pensamento crítico pode ser aprimorado. “Também serão apresentados dados preliminares de um estudo de intervenção visando a aumentar essa capacidade”, acrescenta a organização.

A segunda palestra, no dia 31, às 9h, intitulada O cérebro e os efeitos cognitivos da literacia, vai debater como importantes aquisições culturais, como a literacia, afetam a mente e cérebro. Será ilustrado como a literacia modificou e ainda modifica a forma dos seres humanos verem, ouvirem, lembrarem e conceitualizarem o mundo. O tema vai ser tratado a partir de evidências comportamentais e neurocientíficas.

Todas as atividades serão ministradas pela professora Régine Kolinsky, da Universidade Livre de Bruxelas (ULB), na Bélgica, e as inscrições podem ser feitas neste link.

Mais informações clique aqui.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.