Manutenção 4.0 é importante para agilizar processo produtivo em diversas áreas da indústria

Gilberto Francisco Martha de Souza afirma que, com isso, haverá “subsídio à seleção de políticas de manutenção de sistemas de engenharia, visando a manter o desempenho operacional ao longo da vida útil pretendido”

 25/05/2022 - Publicado há 4 meses
Por
Graças à captação de informações das máquinas, seu armazenamento em nuvem e, a partir daí, a análise de desempenho, é possível preservar as máquinas de modo mais efetivo – Foto: Reprodução/Freepik

A indústria 4.0 tem como base a troca de informações e automação, por meio da utilização da internet das coisas e armazenamento em nuvem, por exemplo. Um dos seus principais objetivos é a otimização de processos por meio dessas tecnologias e poder ser aplicada em diversas áreas da indústria, inclusive na manutenção de máquinas — essencial para o funcionamento do processo produtivo. 

Gilberto Francisco Martha de Souza – Foto: Reprodução/CLAPP Poli-USP

Gilberto Francisco Martha de Souza, professor do Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos da Escola Politécnica da USP, explica como a tecnologia 4.0 foi aplicada na manutenção.

“A manutenção 4.0 […] é o grande volume de dados de monitoração, possibilidade de utilização de realidade aumentada, entre outros, para dar subsídio à seleção de políticas de manutenção de sistemas de engenharia, visando a manter o desempenho operacional ao longo da vida útil pretendido.”

Nesse sentido, graças à captação de informações das máquinas, seu armazenamento em nuvem e, a partir daí, a análise de desempenho, é possível preservar as máquinas de modo mais efetivo. Souza prossegue explicando que, com essa filosofia 4.0, particularmente a manutenção preditiva (antecipa problemas nas máquinas, ao acompanhar os sinais de monitoração, diferente da corretiva, que conserta após a falha, e da preventiva, a qual faz revisões em intervalos regulares de tempo) será planejada “por sistemas automatizados que recebem o sinal e já vão estar analisando-o”, o que agiliza o processo de manutenção.

Aplicabilidade e benefícios

De acordo com o professor, os principais setores em que a manutenção 4.0 é aplicada fazem parte da infraestrutura crítica, pois são setores essenciais para a sociedade e precisam ser seguros para evitar problemas maiores. “Particularmente geração elétrica, saneamento e tratamento de esgotos, indústrias que usam intensivamente os seus ativos e cuja parada causa grande prejuízo para a sociedade”, explica.

Além do melhor planejamento da manutenção das máquinas para identificar sua disponibilidade ao processo de produção de bens, há também uma análise relacionada à qualidade do que é produzido. Desse modo, Souza destaca que também se evita a “produção de bens não conformes”, de forma a melhorar o desempenho global da produtividade.

A produção agrícola, por exemplo, poderá se beneficiar muito da manutenção 4.0 futuramente. “A conectividade dessas máquinas inteligentes vai permitir dizer o que está acontecendo com elas e se planejar manutenção para aumentar a produtividade própria da colheitadeira”, afirma o especialista.

A produção agrícola poderá se beneficiar muito da manutenção 4.0 futuramente – Foto: Reprodução/Freepik

Investimento e ampliação da tecnologia

Por necessitar de uma tecnologia mais complexa, os sistemas de manutenção 4.0 ainda estão pouco disponíveis no mercado. O professor detalha que a Universidade e vários grupos de pesquisa estão trabalhando nesse assunto, mas só há alguns protótipos em áreas específicas, como de gás, petróleo e energia elétrica. “Precisamos ainda desenvolver isso no mundo todo para essa realidade da manutenção 4.0 se transformar mais rapidamente em benefícios aos setores industriais.”


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.