Esplancnologia, o estudo das vísceras

Segundo especialista, essa denominação apresenta difícil conceituação científica, já que os órgãos do corpo humano estão compreendidos em sistemas

Nesta edição do Anatomia Responde, o professor Luis Fernando Tirapelli faz a descrição do termo esplancnologia. No vocábulo grego splagchnon significa popularmente entranha, e anatomicamente se refere às vísceras.

Quanto à arquitetura geral, às vísceras podem ser divididas em dois grupos: ocas ou tubulares, que possuem cavidade no seu interior e têm paredes que são formadas por diversas camadas, como o estômago, intestino delgado e grosso, e a bexiga; e as vísceras sólidas, maciças e parenquimatosas, que são massas compactas de tecidos como, por exemplo, os rins, os ovários, o fígado e o pâncreas.

Segundo Tirapelli, no estudo deve-se considerar os sentidos amplo e restrito do termo. No sentido restrito estão os sistemas orgânicos que mantêm o indivíduo, o digestivo, o respiratório e o urinário, e os que perpetuam à espécie, que é o genital. No sentido amplo, compreendem-se todos os sistemas do sentido restrito e mais o sistema circulatório, coração, vasos sanguíneos e o baço, além do sistema endócrino.  

“Contudo, o termo esplancnologia apresenta difícil conceituação científica, uma vez que os órgãos do corpo humano estão compreendidos em sistemas, tornando dispensável essa denominação”, conclui o professor.

O boletim Anatomia Responde é produzido pelo professor Luis Fernando Tirapelli, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, e pode ser conferido na íntegra no áudio acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.