Comemoração do golpe militar de 1964 gera mal-estar

Pedido de Bolsonaro para que a data fosse comemorada nos quartéis repercutiu mal na sociedade

O pedido do presidente para que o governo e comandos militares comemorassem e rememorassem a data ainda repercute mal entre os brasileiros. Segundo Bolsonaro, 31 de março de 64 teria sido um movimento cívico-militar para salvar o Brasil da ameaça do comunismo. O tema reabriu um debate sobre a história, buscando identificar exatamente o que aconteceu. O professor José Álvaro Moisés lembra que a data foi uma ação militar que tirou de cena o governo constitucional do presidente João Goulart, que tinha assumido após a renúncia de Jânio Quadros. Houve uma intervenção, a prisão de opositores, repressão de movimentos, fechamento do Congresso Nacional e, mais tarde, quando houve uma divisão interna do próprio regime, a linha dura do regime militar mostrou as garras com o Ato Institucional número 5.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.