Brasil vive surtos de depressão e ansiedade

A professora Alline Campos, da FMRP, fala sobre as diferenças e como lidar com a depressão, ansiedade e estresse

  • 22,4K
  •  
  •  
  •  
  •  

O Brasil é considerado o país mais ansioso e estressado da América Latina. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nos últimos dez anos o número de pessoas com depressão aumentou 18,4%, isso corresponde a 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população da Terra. No Brasil, 5,8% dos habitantes – a maior taxa do continente latino-americano – sofrem com o problema.  

Foto: Wim Vandenbussche/Flickr-CC

Em relação à ansiedade, o Brasil também lidera, com 9,3% da população. Esse problema engloba efeitos como fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse pós-traumático e ataque de pânico. As mulheres sofrem mais com a ansiedade: cerca de 7,7% das mulheres são ansiosas e 5,1%, deprimidas. Já entre os homens, o número cai para 3,6% nos dois casos.  

A professora Alline Campos, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP,  explica como diferenciar o estresse, a depressão e a ansiedade. “Estresse é uma coisa que vivemos e estamos expostos a todo tempo; a ansiedade é uma doença grave relacionada com o futuro, a pessoa sempre sente receio em tudo o que vai fazer. Já a depressão está relacionada ao passado, algo que é um peso; a pessoa se sente deprimida, incapaz de expressar seu sentimento e com medo de lidar com certas situações.”  

Ouça a entrevista no link acima.

  • 22,4K
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados