Alterações vocais podem estar relacionadas à tireoidectomia

Especialista alerta que pacientes tireoidectomizados devem observar sintomas sensoriais como rouquidão, fadiga vocal, voz grave, engasgos e garganta seca

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta edição do Anatomia Responde, o professor Luis Fernando Tirapelli descreve uma das mais importantes sintopias localizadas no segmento pescoço, a relação anatômica entre os nervos laríngeos recorrentes com os lobos da glândula tireoide e com as glândulas paratireoides.

Segundo Tirapelli, é importante ter conhecimento da descrição dos nervos laríngeos, pois “indivíduos que apresentam bócio, que é o aumento no tamanho da glândula, causado por hiper ou hipotireoidismo, ou ainda nos casos da presença de tumores benignos ou malignos na glândula tireoide, a tireoidectomia, ou seja, a extração da glândula, se faz necessária.”

O professor diz que as alterações vocais após a tireoidectomia estão relacionadas com a manipulação e/ou lesão dos nervos laríngeos recorrentes próximos ou aderentes à glândula tireoide. ”Essa manipulação pode causar modificação na sensibilidade laríngea, a qual exerce uma importante função no reflexo de proteção das vias aéreas e, ainda,  alteração de mobilidade das pregas vocais ou cordas vocais relacionadas à função protetora e de vocalização ou produção de som.”

Para finalizar, Tirapelli alerta que em pacientes tireoidectomizados, observam-se sintomas sensoriais como: rouquidão, fadiga vocal, voz grave, dificuldade para falar em voz alta, sensação de corpo estranho na faringe, engasgos, pigarro durante a deglutição e garganta seca.

O boletim Anatomia Responde é produzido pelo professor Luis Fernando Tirapelli, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da USP e pode ser conferido na íntegra no áudio acima.

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados